Todas as empresas brasileiras, de grande e médio porte, com mais de 50 funcionários podem ter em seu quadro funcional jovens aprendizes. Para tal função o candidato deve ter de 14 a 24 anos.

Descrita na Lei 10.097/2000, aprovada em 2000 e regulamentada em 2005, a exigência para a contratação de jovens aprendizes no Brasil determina que toda empresa com funcionários alocados em funções que demandem formação profissional deve ter de 5% a 15% de jovens aprendizes.

O Instituto da Oportunidade Social (IOS) já capacitou, ao longo de sua trajetória de 19 anos, mais de 28 mil pessoas, e proporcionou emprego em áreas administrativas e de tecnologia para cerca de 4 mil alunos. A organização sem fins lucrativos ou governamentais trabalha em prol da inclusão de jovens e pessoas com deficiência no mercado de trabalho. A capacitação desses jovens tem contribuído para um incremento de 40% em média, na renda de suas famílias.

Qualificar, formar e empregar jovens no mercado de trabalho vai além do cumprimento da lei. Para nós, do IOS, é um ato de compromisso com o desenvolvimento econômico e social do Brasil. É a missão do nosso Instituto. , declara a Gestora do IOS, Alecsandra Neri

Nesse contexto, a gestora do IOS, aponta sete dicas para que o jovem aprendiz tenha chances de ser efetivado ou indicado pela empresa após o final da capacitação. São orientações para chamar a atenção da empresa a fim de focar investimentos em qualificação e especializações que serão revertidas em produtividade e ganhos para empresa.

Sete dicas para ser um bom aprendiz

1. Curiosidade: questionar, pedir informações e sempre buscar entender o porquê das coisas. Essas características demonstram muito mais do que o interesse nas atividades, mas que o jovem também compreende a importância de entender toda a organização. Quem busca informação, comete menos erros e lida melhor com as situações do dia a dia.

2. Foco: uma característica muito procurada pelas empresas e que se torna quase obrigatória quando se fala de jovem aprendiz: revezar-se entre a rotina de trabalho, curso de aprendizagem e escola ou faculdade, e ainda assim conseguir manter o equilíbrio entre todos esses papéis é um excelente sinal de que no futuro esse será um profissional focado em atingir suas metas profissionais e crescer em sua carreira

3. Apresentação pessoal: quando o jovem demonstra preocupação com sua apresentação e postura no ambiente de trabalho, fica clara a sua maturidade e preocupação com a imagem profissional que está construindo. Através desses cuidados, podemos notar que este valoriza a oportunidade e certamente não terá problemas com as demais normas da organização.

4. Proatividade: o jovem se antecipa às situações do dia a dia e se mostra disposto a auxiliar a equipe nas mais diversas atividades, sempre encarando as tarefas como oportunidades de aprendizado, mesmo que sejam tarefas operacionais ou que parecessem simples ações de melhoria.

5. Facilidade em aprender: quando o aprendiz absorve as informações e atividades com maior facilidade, isso também se torna um destaque. Seja com sistemas, planilhas ou com grande volume de informações, jovens com facilidade em aprender são mais produtivos e certamente valem o investimento em sua formação.

6. Pontualidade: o que parece uma obrigação básica para qualquer profissional, pode se tornar um desafio quando falamos dos jovens. Se o aprendiz demonstra preocupação no cumprimento de seus horários, isso se torna um diferencial a ser valorizado.

7. Solicita Feedback: essa é uma atitude importante e que precisa ser valorizada. Um jovem que, mesmo em uma posição de aprendizado, preocupa-se com o retorno de suas atividades e busca melhoria em sua postura e desempenho, por meio da orientação de seus superiores, possui um grande sinal de maturidade e certamente é um talento que merece investimento.

Fonte: BemParaná

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários