A Universidade Cornell conduziu um estudo para medir o impacto da temperatura do ar condicionado no comportamento de funcionários de uma empresa de seguro.

Quando o termômetro, atingia cerca de 20º C, os empregados cometiam 44% mais erros e sua produtividade era a metade da obtida à temperatura de 25ºC.

“Se o corpo está ocupado em tentar manter um nível de temperatura, as capacidades de concentração e de análise vão diminuir -especialmente para trabalhos intelectuais”, afirma Marcia Bandini, diretora da Associação Nacional de Medicina do Trabalho.

Para ela, pórem, as sensações de frio e de calor nos indivíduos variam grandemente, uma vez que estão ligadas ao gênero (homem ou mulher), peso, quantidade de pelos, roupas, entre outros fatores.

“O corpo estranha as condições com as quais não está habituado -no caso dos brasileiros, o frio é incomum e causa bastante incômodo, refletindo em prejuízo no trabalho”, diz Bandini.

A legislação brasileira determina que, em ambientes controlados por ar-condicionado, as variações estejam na faixa de 19ºC a 23ºC.

PRODUTIVIDADE

As baixas temperaturas interferem na produtividade e a nova pesquisa mostra que afetam também a qualidade das relações.

O fator temperatura opera quando os funcionários entram em contato com os outros e estabelecem relações de confiança.

Sabe-se que calor ou frio podem mudar a experiência em um restaurante ou no cinema.

Mais um motivo para as empresas não negligenciarem as condições de seus ambientes.

Fonte: Folha Online

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários