Pesquisa divulgada pela Câmara Americana de Comércio (Amcham), unidade de São Paulo, mostra que adequar-se ao dress code (normas para vestuário) é um fator determinante na ascensão da carreira para 92% das secretárias executivas que participaram do Comitê de Secretariado realizado na entidade.

Segundo 43% das profissionais, as organizações em que trabalham não possuem uma definição sobre vestuário. Outros 48% disseram que existe um código formalizado para as opções de figurino e 8% não souberam responder.

A pesquisa aponta que 70% das secretárias gastam, por mês, até 10% do salário para se adequar a um dress code corporativo. Desse percentual, 33% usam até 5% da remuneração mensal e 37% delas separam cerca de 10% do que ganham para a roupa de trabalho.

Dos 30% restantes, 11% declararam que empenham até 15% do salário mensal no dress code e 19% afirmam investir mais de 15% do dinheiro que recebem.

O evento, com periodicidade mensal, reuniu 100 profissionais de empresas associadas para ouvir dicas da consultora de moda Bia Paes de Barros sobre como se vestir no ambiente de trabalho.

Em pesquisa realizada durante o comitê, as secretárias responderam que existe uma preocupação muito grande com a escolha da roupa, mas nem sempre as empresas têm um dress code estabelecido.

Tendo ou não regras formalizadas para a roupa de trabalho, 91% delas afirmaram que se sentem confortáveis com o dress code corporativo. Ao mesmo tempo, elas responderam que é justamente no vestuário que acabam tendo maior dificuldade ao adaptar seu estilo pessoal.

Entre as participantes, 27% acham difícil escolher a roupa, 25% não conseguem incorporar o estilo aos acessórios, 19% veem problemas na maquiagem ou na unha, enquanto 15% encontram dificuldades com os calçados e, 14%, com cabelos.

Fonte: G1

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários