As habilidades pessoais/interpessoais baseadas na personalidade, ganham cada vez mais importância, não só no mundo corporativo, como na vida cotidiana.

Destacar-se no mercado de trabalho é o desafio para profissionais que buscam sua realização pessoal e também financeira. As soft kills são habilidades pessoais baseadas na personalidade, ou seja, naquilo que somos. A habilidade de escutar os outros, a habilidade de falar sem ser monopolizador, a disposição para aprender, entre outras, são exemplos de soft kills. Podemos sim, desenvolver estas habilidades, porém elas não são de fácil “medida”, embora possam sim ser medidas.

Exerci por muitos anos cargos de gestão na alta direção de uma grande instituição financeira nacional e continuamente me deparava com situações em que a falta de algumas dessas habilidades (soft skills) trazia problemas para a instituição. Comecei, então, a treinar as pessoas para que desenvolvessem essas habilidades baseadas na personalidade, que hoje chamamos de sfot skills. Não foi e não é tarefa fácil fazer com que muitas pessoas entendam a necessidade de desenvolver essas habilidades.

Hoje sou Professor Universitário num Centro de Tecnologia de uma grande universidade federal e me dedico muito a fazer com que os jovens não negligenciem sua formação nas soft skills, pois elas podem trazer muitas vantagens no concorrido mercado de trabalho e também podem acrescentar muitas qualidades na sua vida pessoal.

Baseado nestas minhas experiências, fiz uma lista de 7 soft skills que considero fundamental para encarar os desafios da vida. São elas:

1. Atitude proativa e positiva – uma atitude positiva não significa dizer que você esteja sempre no mundo do otimismo. Significa que você entende a realidade e pode enxergar oportunidades de melhoria dentro daquela realidade. Ser positivo e proativo faz muita diferença no meio de tanta mediocridade, negacionismo e pessimismo. Porém, não esqueça: você deve ser genuíno e não forçar atitudes que normalmente não são suas características.

2. Disposição para aprender – o seu diploma, seus certificados dos cursos realizados, todos são importantes. Porém, nunca ache que já aprendeu tudo que devia ou que podia. Nosso cérebro tem capacidade infinita de expansão e por isso, sempre tem espaço para aprender mais. Os ambientes de trabalho estão em constante mudança e evolução. Se abra para novas experiências e tenha vontade de aprender. As empresas valorizam muito quem tem essa vontade e disposição para aprender.

3. Saber trabalhar com a escassez – todos sabemos que os recursos são finitos. As empresas nem sempre tem recursos para novos investimentos sejam em máquinas e equipamentos, ou até mesmo em mais funcionários. Então saber adaptar-se à realidade da empresa é uma habilidade muito valorizada pelos empresários. Isso não significa não ter visão de futuro e não ter planejamento de crescimento. Significa sim, entender as circunstâncias e a finitude dos recursos.

4. Saber trabalhar sob pressão – assim como a escassez de recursos se faz presente, a pressão pelo gerenciamento do tempo, pela produtividade e pelo atingimento de metas e resultados é cada vez maior em função do mercado altamente competitivo e, muitas vezes cruel. Ser resistente para absorver as pressões e possíveis fracassos momentâneos, é um diferencial importante para angariar experiências visando os novos desafios.

5. Ter uma boa comunicação verbal – saber se comunicar adequadamente é uma necessidade vital dentro das organizações. Isso inclui o trabalho em equipes, cada vez mais valorizado, a interação com os colegas de trabalho, sejam eles subordinados ou hierarquicamente superiores. Essa interação, que deve ser pacífica, dentro do ambiente de trabalho, inclui também, as horas de tempo livre. Vou dizer o que parece tão óbvio, mas que muitas vezes as pessoas não observam: nem falar de mais, nem falar de menos. Esse é o grande desafio: achar o equilíbrio e a pertinência das palavras.

6. Ter uma boa “escutatória” – o grande escritor Rubem Alves escreveu: “Escutar é complicado e sutil. Sempre vejo cursos de oratória e nunca vi cursos de escutatória. Todo mundo quer aprender a falar, mas ninguém quer aprender a escutar”. No ambiente corporativo, escutar e seguir as instruções é uma parte importante dentro da engrenagem da organização. Mas, saber escutar além das instruções é uma importante habilidade da personalidade. Esta é minha soft skill preferida. Quem não sabe escutar se torna egoísta e com sua visão limitada.

7. Ser uma pessoa honesta e confiável – acharia desnecessário escrever sobre esta soft skill, por razões óbvias. Todos deveríamos ser assim, mas infelizmente a realidade do dia a dia é outra. Então, seja coerente, mostre às pessoas que elas podem confiar em você. A confiança também diz respeito à cumprimento de prazos, a não dar ouvidos às “fofocas” da rádio corredor, a ser ético. O maior ativo seu é sua honestidade e confiabilidade. Seu nome.

Assim, nunca negligencie o impacto que as soft kills podem causar na sua carreira e na sua vida, pela falta delas. Vivemos em sociedade e cada vez mais expostos aos “tribunais” de julgamentos das nossas atitudes. Portanto saber que existem e desenvolver essas habilidades da nossa personalidade é dar valor à sua inteligência e à sua capacidade de entender melhor o mundo em que vivemos.

Então, lembre-se: um bom histórico acadêmico pode, muitas vezes, ser suficiente para sua contratação, mas essas habilidades interpessoais são responsáveis pela sua manutenção e ascensão nas organizações.

Fonte: https://administradores.com.br/artigos/por-que-as-soft-skills-s%C3%A3o-t%C3%A3o-importantes-nos-dias-de-hoje

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários