Amizades são muito importantes. Tudo o que fazemos para ter sucesso em nossas carreiras melhora (e muito) quando temos uma base sólida de amigos. Pesquisas mostram que estar rodeado de amigos, gente que nos conhece bem, é produtivo. Ainda assim, muitos profissionais acabam perdendo contato com seus amigos mais próximos ao longo da vida. Em artigo publicado na Harvard Business Review, o professor Neal J. Roese defende que amigos são importantes tanto para o seu bem-estar físico quanto psicológico.

 Os psicólogos definem amigos próximos como pessoas que não são parentes, cujo aniversário você celebra e com quem você discute questões íntimas, como problemas no trabalho e relacionamentos amorosos e para quem você cogitaria ligar para pedir ajuda em uma mudança ou em uma emergência médica. O número e força dessas amizades é um dos indicadores de sua saúde emocional. E além dos benefícios psicológicos, as amizades podem influenciar a fisiologia básica, com mostram estudos que indicam uma conexão entre a vida social e a proteção celular contra doenças. Ou seja, uma pessoa tem menos chances de pegar uma gripe ou resfriado se tem uma sólida rede de amigos. Uma análise recente de 148 estudos demonstrou que ter relacionamentos fortes está associado a uma queda de 50% no risco de mortalidade.

Mas manter-se próximo dos amigos é um desafio para profissionais ambiciosos. Veja porque você deveria se esforçar mais para manter os laços.

Arrependimento
Pesquisas em psicologia examinaram quais os arrependimentos que as pessoas costumam ter, e os mais citados são centrados em relacionamentos – românticos, familiares e amizades – ou trabalho – carreira e educação. “Em nosso estudo, nós entrevistamos 1300 pessoas e concluímos que os maiores arrependimentos envolvem relacionamentos e carreira. As pessoas descreveram as mágoas com relacionamentos muito mais intensamente do que os casos de trabalho”, afirma Roese. “O que mais as afligia era a ausência ou perda de conexões sociais”.

A pesquisa mostrou que a intensidade do arrependimento estava relacionada também ao quanto as pessoas sentiam que a sensação de “pertencimento” estava ameaçada pela perda de relacionamentos. Os relacionamentos amorosos ocupam o primeiro lugar na lista dos mais citados, seguidos por relacionamentos familiares – amizades aparecem em oitavo lugar. “Isso nos mostra que as pessoas reconhecem imediatamente a importância de investir tempo em relacionamentos românticos e familiares, mas as amizades são facilmente negligenciadas”.

O desafio da amizade hoje
Parte do atual desafio é que a definição de amizade continua mudando. As pessoas desenvolvem redes sociais maiores, mas acabam com laços menos íntimos. Em média, um adulto tem 200 amigos em redes sociais online e 11 amigos “off-line”. Pode parecer bastante, mas quando se fala em amizades próximas, cada pessoa tem apenas cinco amigos. As amizades mais íntimas, aquelas pessoas com quem discutimos nossa vida sexual, por exemplo, são ainda mais raras: duas por pessoa (abaixo das três que eram em levantamento semelhante em 1985).

“As amizades nunca foram tão importantes para o desempenho profissional”, diz Roese. Nesse cenário, como conseguir criar e manter amizades duradouras e significativas? Uma pesquisa mostrou que os amigos que você faz no trabalho podem te ajudar a ganhar mais, em parte porque ajudam a criar algum tipo de “amortecedor emocional” que ajuda a manter a motivação e o foco. Veja cinco passos que vão te ajudar a nutrir amizades.

Faça o esforço
As pessoas se arrependem de perder conexões, mas notam menos a importância das amizades. “Se você está no começo da carreira, é hora de fazer um esforço extra para desenvolver e manter amizades”, diz Roese. “Isso significa lutar contra o movimento natural que nos distancia dos amigos, especialmente após os 20 anos, quando as pessoas se formam e pensam em iniciar suas carreiras e possivelmente uma família”. Ligue para um amigo em vez de apenas checar sua página do Facebook, faça planos e não dê desculpas só porque você está com preguiça.

Peça conselhos a seus amigos
Ter amigos é importante, mas não se esqueça de que é preciso interagir com eles. Amigos próximos podem ajudar, especialmente quando você tem uma percepção distorcida de si mesmo – seja sobre uma promoção que você não ganhou ou um relacionamento amoroso que não deu certo. O simples ato de compartilhar experiências ajuda a fortalecer os laços de amizade.

Faça planos
Forme pequenos grupos de amigos que tenham um interesse em comum, como assistir a filmes, fazer experiências culinárias, participar de um evento político ou aprender algo relacionado à sua carreira. Assim fica mais fácil manter o contato regularmente.

Faça novos amigos
Um desafio enfrentado por muitos profissionais é mudar de cidade a trabalho. “O que faz um nova-iorquino ao chegar em Cingapura para trabalhar por um ano?”, questiona Roese. É muito fácil manter apenas contato com os amigos de antes, mas que tal usar a internet para encontrar pessoas com os mesmos interesses e com quem você pode se encontrar pessoalmente?

Priorize o trabalho – e as amizades
Avançar no trabalho e manter amizades podem parecer coisas excludentes, dado o tempo necessário para ambos, mas isso não é verdade. “Estabeleça metas ambiciosas para sua carreira, mas não sacrifique os seus relacionamentos próximos no processo; dê a cada um a energia necessária”, aconselha Roese. É importante encontrar tempo para as duas coisas. “A carreira e os amigos podem reforçar um ao outro, como quando amigos que trabalham em empresas diferentes se encontram para compartilhar informações sobre o mercado e inspirar uns aos outros”.

Fonte: Época Negócios

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários