Nunca se sabe o dia de amanhã. A organização da qual você se desliga hoje pode ser a mesma que, daqui a alguns anos, oferecerá a melhor oportunidade de crescimento profissional da sua vida. Por isso, o momento da despedida de uma empresa precisa ser tranquila, de modo a deixar uma boa impressão e manter as portas abertas.

Todo o empenho, resultados favoráveis e bom relacionamento interpessoal podem ser apagados caso a saída seja mal feita.

De acordo com Eliseu Ordakowski, consultor sênior em planejamento de carreira da Produtive — Carreira e Conexão com o Mercado, uma boa imagem profissional começa a ser construída no momento do ingresso e não termina após o desligamento.

— O mercado é amplo, a empresa cresce, o profissional cresce. As pessoas podem voltar, por isso a a ruptura não pode sofrer desgastes. A hora de deixar a empresa deve ser usada para validar essa parceria, lembrar dos aspectos positivos e não para fazer críticas. Lembre-se de que você está interrompendo um período aquisitivo, não uma relação — alerta Ordakowski.

Alguns pontos diferem o desligamento de quem pediu demissão e de quem foi demitido. No primeiro caso, indica Josué Bressane Junior, diretor presidente da Gemte Consulting, o processo ocorre de forma mais aberta e transparente possível. Os motivos da saída precisam ficar claros ao empregador.

— Quando a pessoa é despedida, deve ouvir atentamente toda a explicação que lhe for dada, concordando ou não — sugere o diretor da consultoria.

Independentemente de a demissão ter sido iniciativa própria ou do empregador, é fundamental desempenhar com excelência as funções até o dia de partir. Marcela Esteves, gerente da divisão de Finanças e Contabilidade da Robert Half, lembra da importância de cumprir com qualidade o aviso prévio quando solicitado e treinar bem o seu sucessor:

— Faça o seu melhor até o fim e deixe boas referências. É de bom tom, inclusive, colocar-se à disposição para o caso de surgir alguma dúvida — indica a consultora da empresa de recrutamento especializado.

Manda a etiqueta que o profissional se despeça pessoalmente de todos os que, de alguma forma, foram importantes durante o período em que trabalhou naquele local. Os e-mails de despedida, aconselha a consultora de etiqueta empresarial Célia Leão, devem ser remetidos apenas àqueles que pertencem ao círculo de relações do profissional.

— Pega mal entupir a caixa de mensagens dos colegas. A gente se despede só de quem a gente gosta e tem a obrigação de ter gratidão, sem demagogia — enfatiza Célia.

Empenho do início ao fim

Após quatro anos somando bons resultados, o engenheiro de produção Luciano Izar Ost (foto), 37 anos, precisou ser demitido por motivos de reestruturação da empresa, em uma ação que suprimiu mais cinco cargos de gerência. Com desempenho irretocável, a organização só tinha pontos a favor a respeito do profissional e Ost compreendeu plenamente a motivação de seu desligamento.

— Quando saí, eu salientei a minha identificação com os valores da empresa e o quanto me orgulhava de pertencer ao seu quadro funcional. A minha saída foi tão bem conduzida que, menos de um ano depois, fui chamado novamente para um cargo acima do que eu estava quando saí — conta.

Atualmente, Ost é gerente de supply chain na indústria de plástico Polo Films. O cargo que ocupa é o de maior responsabilidade de sua carreira até o momento, e ele credita a confiança da atual empregadora a sua trajetória impecável do início ao fim nas empresas pelas quais passou.

Dicas para se despedir bem

> Lembre-se de que o momento do desligamento faz parte da sua trajetória na empresa. De nada adianta ter um desempenho impecável durante o período em que trabalhou lá e errar na hora da saída.

> Informe-se sobre os procedimentos da empresa para esses casos e tente seguir o padrão usado pela organização.

> Converse com o seu gestor direto e peça um feedback final sobre sua atuação.

> Aos gestores e colegas, agradeça pela oportunidade e pelo aprendizado nesse tempo que passaram juntos.

> Se for o caso de pedir demissão, pense se antes de chegar a essa decisão você já conversou com o seu gestor sobre as questões que lhe desagradam. Dê a chance de a empresa satisfazer-lhe antes de optar pelo desligamento. Para o empregador, nunca é bom ser pego desprevenido.

> Cumpra com excelência o aviso prévio e treine bem o seu sucessor.

> Despeça-se pessoalmente de todos aqueles com que você teve relações durante o período de trabalho.

> Deixe contatos pessoais com as pessoas com as quais quer continuar se relacionando.

> Caso ache necessário, encaminhe um e-mail formal para os demais colegas de trabalho.

> Se possível, comunique também aos clientes e fornecedores de sua saída. Assim, eles não serão pegos de surpresa quando procurá-los na empresa.

> Festas de “bota-fora” são bem-vindas no ambiente de trabalho quando a empresa for mais informal. Em outros casos, o melhor é marcar um encontro em outro local.

O que não cai bem

> Não use a conversa de despedida com o seu chefe para reclamar das coisas que lhe desagradam na empresa.

> Na hora da despedida, passe seus contatos pessoais e não os da empresa para a qual está indo. É de bom tom deixar que o novo empregador o apresente para o mercado.

> Não abandone o trabalho, deixando pendências para serem resolvidas por seu sucessor.

> Na hora de se despedir, evite causar tumulto e atrapalhar o trabalho.

E-mail de despedida

> Às pessoas das quais não foi possível se despedir pessoalmente, vale mandar e-mail.

> Não seja demasiadamente sentimental no texto, mas não esqueça os agradecimentos.

> Evite aquele e-mail geral, encaminhando mensagens até para quem você nem conhece.

> Melhor não citar o nome do novo empregador no e-mail, nem passar seus novos contatos.

> Inclua no e-mail orientações de quem as pessoas devem procurar na sua falta.

Fonte: Zero Hora

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários