O que é mais fácil responder: qual foi a última vez que ficou INSEGURO ou a quanto tempo está inseguro?

Saiba que a insegurança faz parte da história de quem LUTA dia a dia. Não há pessoas físicas ou jurídicas que hoje cortejam o SUCESSO e não tiveram que andar de mãos dadas com a insegurança em alguns ou vários trechos do seu caminho, mas até quando a companhia da insegurança é tolerável?

INsegurança ou EM segurança?
O tempo não para. Não há espera para tomar decisões, e sim ADIAMENTOS, ou ainda, quando não há esse luxo, as escolhas ficam apenas na imaginação.

É critério para apontar um diferencial a maneira como REAGIMOS frente as situações que pedem a tomada de decisão, assim como a forma que lidamos com a insegurança ou como analisamos os cenários e criamos as estratégias devidas. Empresarial demais? Releia este parágrafo PENSANDO em uma preparação para um concurso, ou em meio a um jogo de xadrez, e ao pedir compromisso em um relacionamento.

Como já explícito, o tema deste texto é INSEGURANÇA ou seria EM SEGURANÇA?

A rotina de constantes tomadas de decisões nos proporciona experiências, de modo que em um primeiro momento sentimos insegurança, porém, após vivenciar o pós-decisão, as incertezas vão se dissolvendo e a sensação de estar vulnerável ganha outro ponto de vista, a partir de certo instante, ficamos em segurança. Se houve acerto na decisão, CELEBRAMOS. Se o erro emperrou, já sabemos o que não precisamos fazer na próxima ocasião.

Qual é o tamanho da sua insegurança? O quanto ela ousa te enfrentar, minando o seu ENTUSIASMO?

A famosa história de “Davi vs. Golias” cabe como resposta. O gigante que assusta um exército inteiro é vencível. Porém, como vencê-lo? Ter CORAGEM? Sorte? No relato, diz-se que Davi o acertou com uma pedra na fronte, desfalecendo o gigante e encerrando o combate com um golpe fatal. O que consegue tirar deste exemplo? Coragem e sorte são sugestões, mas chegou a pensar na AÇÃO? O ato em si. Arriscar-se. Como dizem: mova-se, você não é uma árvore.

Davi e seu feito nos passa a mensagem de enfrentar as incertezas, o medo. Porém, obviamente, não nos apresenta qual é a arma ideal para nossa jornada. O que se pode garantir pela história, é que, para vencer um gigante, derrubá-lo é o mais indicado, pois sua altura é PROPORCIONAL ao impacto do seu tombo. Assim como acertar sua cabeça, pois é o ponto de referência e pode desnortear, exatamente como ocorreu. Tão óbvio, não? Mas repare que somente agora, depois do feito, que TUDO se torna claro. Se Davi tivesse perguntado aos céticos à sua volta, ele seguiria com a mesma coragem?

Para enfrentar nossa insegurança, a informação é uma importante arma. Porém, aquela instrução ASSERTIVA. Como dizem: se quer saber o que há onde está indo, pergunte a quem está voltando.

Tolerância à insegurança
A insegurança até certo ponto é um “mal necessário”. No sentido de que, estar inseguro nos faz raciocinar frente à DESAFIOS. Relacionado ao medo espontâneo, nosso corpo aguça os sentidos através da adrenalina. Neste momento podemos otimizar nossa percepção, porém o risco de abortar as ações também aumenta. É preciso PREPARAÇÃO, autocontrole.

Nas organizações, tomar decisão envolve todo o quadro de colaboradores, desde o estratégico, em dirigir a empresa, até o operacional; seja realizando com excelência as instruções e técnicas praticadas em treinamentos ou CONTRIBUINDO com ideias. Este tipo de rotina incide em desenvolvimento econômico e propõe evolução. Evoluir gera novos cenários que pedem novas decisões. Decidir para evoluir gera insegurança. Ter insegurança faz parte, mas é preciso estar preparado, seja munido de INFORMAÇÕES ou unir-se a quem tem e trabalha com este precioso detalhe em busca de sucesso.

Fonte: Administradores

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
1

Comentários

comentários