Neste texto, quero de forma sintética estabelecer alguns parâmetros para atitudes que temos de aprimorar emnosso cotidiano de profissional do século XXI. A motivação pelo qual resolvi abordar esse tema, se deu especialmente pela sua atualidade, e da necessidadede refletirmos sobre aspectos que podem fazer a diferença, na hora de uma promoção no trabalho, na recolocação e até mesmo na conquista do primeiro emprego, sobretudo, devido ao universo de mais de 13 milhões de brasileiros desempregados.

Ressaltamos, porém, que as cinco características que iremos comentar logo a seguir, além de não serem as únicas, podem e devem ser acrescidas pela prática diária em busca do aperfeiçoamento profissional, que constituirá sem dúvida um diferencial na carreira daqueles que as efetivarem de forma consistente.

Começo pelo pressuposto de que a cada dia aumenta a concorrência no mercado de trabalho e empresarial. São milhares de pessoas buscando cursos para se capacitarem, em um cenário de instabilidade e mudanças drásticas.

1) Domine sua área de atuação (tenha conhecimento)

Quanto menos você errar, mas rápido você alcança seus objetivos e se destaca como profissional, porém, não estamos livres dos equívocos, sendo assim, temos de buscar aprender com eles.

Ter conhecimento, e consequentemente dominar sua área de atuação reduz o risco de perdas por decisões inadequadas. É estratégico saber no mínimo sobre o mercado em que atua; perspectivas e direções; entender e compreender o perfil de seus colegas
de trabalho, os processos internos, legislações, e assim por diante.

Inovação é a palavra-chave, e para inovar e fazer diferente exige conhecimento profundo de como tudo funciona atualmente.

2) Interação Social (trabalhe em equipe)

Saber lidar com pessoas está cada vez mais raro, uma incoerência diante de diversas metodologias e teorias psicológicas de interação social. Acontece que estamos na era da informação, aonde a tecnologia, juntamente com a internet, ditam novas formas de interação e comunicação. Tal circunstância determina para grande parte da população, que seja mais conveniente postar nas redes sociais, relacionar-se por aplicativos de mensagens, e até mesmo priorizar a interação com pessoas que eu nem conheço pessoalmente (fisicamente).

Pesquisas apontam uma grande deficiência da chamada geração “C” (sigla de ‘Conectados’). Os jovens têm grande facilidade de realizar tarefas em grupos por meio de ferramentas online, e são uma verdadeira catástrofe quando as tarefas exigem contato pessoal.

Então desperte o interlocutor social real que há em você: Opine, ajude, elogie, cobre. Busque sempre o melhor por meio das pessoas de seu grupo.

3) Inteligência Emocional (aprimore-se com autoconhecimento)

Por muitos anos o mundo do trabalho se preocupou pela inteligência medida pelos testes de QI. Profissionais com índices elevados eram tidos como os mais preparados.
Atualmente, apenas este aspecto não é o bastante. Especialistas em gestão de pessoas e responsáveis por departamentos de recursos humanos, afirmam categoricamente, que comportamentos e atitudes do profissional são capazes, prioritariamente, de determinar o sucesso na carreira. Desta forma, educar-se emocionalmente, saber agir assertivamente diante de circunstâncias adversas, conta e muito para que você mantenha o nível de empregabilidade em cima.

4) Dono do negócio (seja empreendedor)

A penúltima dica é a mais valorizada no mundo corporativo. Nenhuma empresa contrata alguém para ter problemas. Muito pelo contrário, o bom prestador de serviço, é um criador de soluções. Pensar, e principalmente agir como dono do negócio é condição ‘sine qua non’ para fortalecer a carreira profissional.

5) Estabeleça a liderança (seja líder)

Para concluir sobre as dicas, penso que assumir uma posição de liderança será consequência da efetivação das quatro primeiras dicas. Se você domina a área em que atua, sabe lidar e interagir com pessoas, tem controle nas atitudes e comportamentos e pensa e age como dono do negócio, não há dúvida que se tornará um líder.

No entanto, para assumir verdadeiramente tal posição, temos de transformar nossas experiências em resultados. Despertar a visão gerencial, a responsabilidade sócio-ambiental, e claro saber trilhar o caminho dos resultados financeiros positivos.

Conquiste seu mundo, se motive e mãos à obra…

*Repórter de O Impacto, Bacharel em Administração, e pós-graduando em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas (FGV)
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários