Ainda que você seja perfeito para a vaga, um erro de digitação ou formatação pode levá-lo à pilha dos “não selecionados”.

Recrutadores recebem dezenas, ou centenas, de currículos para cada vaga aberta. Segundo o site do Fórum Econômico Mundial (World Economic Forum), como eles não têm tempo para analisar cada um de perto, gastam cerca de seis segundos para decidir se selecionam ou não aquele currículo.

É por isso que, ainda que você seja perfeito para a vaga, um erro de digitação ou formatação no seu currículo pode levá-lo à pilha dos “não selecionados”.

Veja abaixo as dicas compiladas pelo Fórum Econômico Mundial com as 17 informações que você não deve colocar no seu currículo:

Objetivo: se você se candidatou a vaga, obviamente, ela é o que você quer. A exceção dá-se caso você esteja mudando inteiramente de indústria ou setor e queira incluir um breve resumo.

Experiências de trabalho irrelevantes: você pode ter sido muito bom em um emprego que teve na adolescência, mas, se isso não tiver nada a ver com o que você procura no momento, não é relevante.

Características pessoais: não coloque características pessoais, como seu estado de relacionamento, sua religião. Pode parecer comum, mas essas perguntas são ilegais em entrevistas de emprego.

Seus hobbies: gostar de basquete não é relevante se sua profissão não tiver nada a ver com o esporte.

Idade: se você não quer ser discriminado pela sua idade, pode remover sua data de nascimento do currículo.

Referências: se seu entrevistador quiser falar com referências e antigos empregadores seus, ele vai te pedir.

Pronomes: “eu”, “meu”, “ela”. Não escreva seu currículo em primeira ou terceira pessoa.

Um endereço de e-mail não profissional: tenha uma conta de e-mail profissional, com seu nome e sobrenome. Evite nomes no diminutivo ou endereços como “amantesdecerveja@provedor”.

Palavras desnecessárias: você não precisa colocar a palavra “telefone”, antes do número, por exemplo.

Telefone comercial: você realmente quer que seu futuro empregador te ligue no seu atual trabalho?

Mídias sociais não relevantes: seu blog opinativo, Instagram ou Pinterest, que não têm relação com sua vida profissional, não são relevantes.

Informações de salário: o currículo serve para mostrar seu histórico profissional e habilidades, discussões sobre salário são posteriores.

Fontes obsoletas: não utilize fontes obsoletas, como Times New Roman, se não quiser parecer antiquado. Fontes serifadas, como Arial, são boas pedidas.

Jargões: expressões como “pensar fora da caixa” e outros jargões devem ser evitados.

Os motivos que te levaram a sair de um emprego: não use seu currículo para explicar a saída de um trabalho. Se preciso, fale sobre isso na entrevista.

Suas notas: se você já saiu da escola ou graduação, suas notas são irrelevantes.

Uma foto sua: isso pode ser pedido em etapas posteriores, mas descarte essa necessidade no currículo.

Fonte: IG

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários