Prefira as explicações detalhadas. Evasivas só pioram a situação.

Em algum momento, todo profissional tem de assumir um erro: por algo que fugiu do seu controle, por um erro de estimativa, por uma descortesia. Estudos mostram que a forma de pedir desculpas pode proteger a sua reputação – e sua carreira.

De acordo com um estudo da University of Virginia, nos Estados Unidos, uma desculpa detalhada é mais bem-aceita do que evasivas. E é fundamental que o pedido de desculpas expresse sinceridade. “No ambiente de trabalho, deve-se demonstrar empatia com os prejudicados”, diz o professor de administração Ryan Fehr, em artigo na revista Academy of Management Review.

O modo de se desculpar deve variar de acordo com o tipo de pessoa a que se dirige

Outra atitude eficiente, diz Andrew DuBrin, professor do Rochester Institute of Technology, nos EUA, é a “autodepreciação controlada” – um comentário que, com antecedência, explique a própria fraqueza diante de um iminente desempenho medíocre. Por exemplo: “Minha apresentação talvez não esteja 100%, pois estou me recuperando de uma dor de garganta terrível”.

Por fim, diz Fehr, as desculpas funcionam melhor, ou pior, de acordo com o tipo de pessoa a que são endereçadas. O tipo individualista prefere pedidos de desculpas que incluam alguma forma de compensação objetiva. Já quem se identifica como membro de um grupo reage melhor quando o pedido inclui a admissão de que as regras daquela coletividade foram quebradas.

Fonte: Época Negócios

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários