As pessoas trabalham para conseguir dinheiro. É difícil fugir dessa regra do mercado. Mas não é apenas incentivo financeiro que vai garantir o melhor desempenho dos profissionais. Além disso, nem sempre é possível dar bônus e aumentos de salário, principalmente em tempos de crise.

Ser capaz de motivar a equipe e estar atento às suas necessidades é qualidade essencial para um líder. “Muitos são capazes de administrar coisas e atingir resultados, mas liderar pessoas não é para qualquer um”, afirma Geovana Magalhães, gerente de desenvolvimento de lideranças e engajamento da LHH, consultoria especializada em carreira.

Segundo ela, primeiro o líder tem de estar atento ao que motiva cada pessoa, abrindo um diálogo muito franco com os subordinados, para perceber e perguntar de forma direta o que as pessoas apreciam, o que as deixam motivadas e mais felizes.

“Cada pessoa se motiva por uma razão diferente. Para algumas é dinheiro, outras querem liberdade de atuação, qualidade de vida ou grandes desafios para que possam se desenvolver”, afirma.

Saber o que estimula cada pessoa é o primeiro passo. Confira outras cinco ações básicas para manter a equipe sempre em busca do melhor resultado.

Reconhecer

A primeira medida para motivar a equipe pode ser a mais simples: reconhecer o sucesso e o bom trabalho. “O ser humano não é nada sem reconhecimento”, afirma Jonas Duarte, sócio-diretor da Crescimentum, consultoria especializada em desenvolvimento de líderes.

Como resolver isso? No dia a dia, pode ser o elogio e o retorno em uma avaliação, conhecido na linguagem corporativa como feedback.

Mas outros gestos também podem mostrar sua satisfação. “Se o profissional desenvolveu um determinado projeto e o chefe o leva junto na hora de defender [esse trabalho] para a diretoria, ele se sente valorizado”, afirma Geovana Magalhães.

Inspirar

Liderança é incentivar, cobrar e passar funções, mas também inspirar sua equipe, sendo um modelo. “[O chefe] precisa ter coerência entre o que fala e o que faz”, afirma Geovana Magalhães.

É preciso também que sua equipe entenda os valores e missões da companhia ou de sua área. “É comum o funcionário estar trabalhando e não saber o objetivo, a missão dentro da empresa”, diz Jonas Duarte.

Segundo ele, o gestor deve falar individualmente com cada funcionário, para entender se os valores e objetivos da empresa estão de acordo com o funcionário. E não basta que aconteça apenas na hora em que ele é contratado. “Isso tem de ser lembrado mensalmente, se possível”, afirma Duarte.

Delegar

Sabe o ditado “se quer algo bem feito, faça você mesmo”? Pois então, um bom líder não deveria dar ouvidos a ele. Centralizar tarefas é uma opção ruim. Saber delegar funções é uma habilidade essencial do bom chefe.

“Delegar funções que o líder entende que seu funcionário pode fazer é uma forma de motivar”, afirma Duarte. “O profissional  naturalmente vai se sentir reconhecido”.

Desafiar

A rotina e mesmice podem ser outros fatores que destroem a motivação do funcionário. Cabe ao gestor, também, colocar desafios e tarefas novas à sua equipe, que fujam da atividade normal de cada um.

O líder deve saber se o funcionário gosta de se sentir desafiado e é capaz de desempenhar a tarefa, mas a ideia, afirma Duarte, é justamente desafiar seu profissional.

“É um obstáculo, no bom sentido, para que o funcionário consiga se conhecer. Quando ele percebe que fez algo diferente, que não fazia, se sente motivado”, afirma.

Ouvir

Os profissionais desejam ser ouvidos. “A participação das pessoas nas soluções também motiva os grupos. Mas não basta escutar. Tem de ouvir e considerar aquela resposta como uma possibilidade real”, afirma Geovana Magalhães.

Por Ricardo Marchesan / Fonte: UOL

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários