O trabalho por conta própria, que foi uma das saídas para quem perdeu o emprego, também começou a encolher. São quase 23 milhões de brasileiros com esse tipo de ocupação.

Bem-vindos ao Churrascris! Cristiano é o dono do barzinho. Ele montou o negócio há um ano na garagem da sogra.

“Muito certo. Tá dando muito certo”.

A ideia surgiu quando Cristiano perdeu o emprego de analista de sistemas.
Ele precisava de dinheiro para sustentar a casa e para manter a filha na faculdade.

“Sem isso não ia ter condições de pagar. Então isso hoje é o sustento principal da família”.

Josiellen também está desempregada e dá uma força na cozinha.

“Enquanto não acontece, eu tô aqui ajudando meus pais pra conseguir estudar”.

Sempre que o IBGE registra um aumento no desemprego, é automático, aumenta também o número de trabalhadores por conta própria. Mas, desta vez, houve uma queda também entre os autônomos – e aí estão incluídos os camelôs, pedreiros, quem não paga salário para funcionário ou ajudante. É tanta gente tentando que esse mercado pode estar ficando saturado.

Na comparação com o mesmo período de 2015, esse tipo de ocupação ainda cresceu. Mas caiu em relação ao trimestre anterior.

“Antes tinha uma proporção bastante clara. Você perdia 1,5 milhão de carteiras, você tinha essa mesma proporção de aumento no trabalho por conta própria. Então, a saída da informalidade está se reduzindo. Ela está se complicando. Ela está ficando menor”, Cimar Azeredo, do IBGE.

Mesmo quem conseguiu se dar bem por conta própria não pode se acomodar.

“Uma dica é que essas pessoas procurem fazer algum curso, se mantenham atualizadas de forma que, quando a economia voltar a se recuperar, que essa pessoa tenha facilidade de se realocar”, explica Bruno Ottoni Eloy, pesquisador do Ibre/FGV.

Cléia não se acomodou. Ela montou um salão de beleza na garagem depois que perdeu o emprego, e se manteve bem durante um ano, até conseguir uma vaga com carteira assinada como segurança.

“Eu tenho esperança que as coisas vão melhorar e daqui pra frente eu conseguirei alcançar minha meta, que é expandir meu salão e conseguir algo melhor”, diz Cléia Maria Alves.

Fonte: G1

 

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários