Dados mostram que mercado de trabalho desacelerou 0,6% frente agosto.  Também em setembro, a massa real de salários diminuiu 0,2%.

A indústria brasileira faturou mais em setembro, mas confirmou temores de desaquecimento no mercado de trabalho, mostrou a pesquisa Indicadores Industriais, divulgada nesta segunda-feira (3) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Enquanto o faturamento da indústria subiu 0,8% em setembro frente o mês anterior, as horas trabalhadas na produção aumentaram 1%, na série livre de influências sazonais. O nível de utilização da capacidade instalada subiu 0,8 ponto percentual.

De acordo com o estudo, “mesmo com esse crescimento, o quadro da indústria ainda é de desaquecimento” no trimestre.

Resultado trimestral

Apesar do resultado positivo em setembro, no terceiro trimestre, o faturamento teve queda de 1,5% e as horas trabalhadas na produção caíram 0,8% frente ao segundo trimestre.

No acumulado do ano, o faturamento teve queda de 2,1% e as horas trabalhadas na produção recuaram 2,9% em relação a igual período do ano passado.

Emprego

O crescimento da atividade industrial foi insuficiente para impedir demissões em setembro, mostrou o estudo. Naquele mês, o emprego caiu 0,6% na comparação com agosto, na série com ajuste sazonal.

Esta foi a sétima queda consecutiva do indicador. No mesmo período, a massa real de salários diminuiu 0,2% e o rendimento médio dos trabalhadores teve queda da 0,3%, na série com ajuste sazonal.

Fonte: G1 

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários