Imagem: Freepik

Você já deu os primeiros passos para a sua recolocação, já colocou sua cabeça no lugar, planejou suas finanças, já conversou com a família sobre o momento. Qual o próximo passo?

Agora você vai começar a pensar em como vender bem seu melhor produto: você mesmo! Para isso, é necessário que você invista tempo no seguinte exercício, que vai ajudar você nessa tarefa:

Relembre tudo o que você já fez

Você já fez este exercício alguma vez? Ele é VITAL para você ter sucesso ao se recolocar, por um motivo: só você sabe, como mais ninguém, tudo o que você pode oferecer como colaborador de uma empresa.

Para as empresas contratarem você, elas precisarão ter certeza de que você dá conta do recado. Para elas terem essa certeza, você terá de convencê-las disso em vários momentos:

  • Quando elas lerem seu currículo ou uma carta de apresentação;
  • Quando elas conversarem com você por telefone, chat ou outro meio;
  • Quando você conversar com pessoas com poder de decisão sobre contratações;
  • Quando você conversar com pessoas da sua rede de contatos;
  • Quando você estiver em entrevistas.

Em todos estes momentos, você precisará ter, na ponta da língua, um resumo sobre seu perfil como profissional e suas melhores realizações profissionais. Para isso, é necessário relembrar cada uma de suas realizações profissionais, cursos de formação ou complementares que fez e quais valores eles agregaram à sua carreira e seus atuais objetivos, conhecimentos técnicos adquiridos, habilidades em informática importantes para sua atuação profissional e todas as vivências e realizações em sua carreira e formação.

Então, veja como esse exercício é importante! Ele é a matéria-prima para você saber o que dizer nas entrevistas, no currículo, em cartas de apresentação e em contatos pessoais!

Anote tudo o que lembrar

Ao relembrar tudo o que você já fez, vá anotando. Anote tudo mesmo!

Neste primeiro momento, não se preocupe se você lembrar de alguma realização que não pareça importante. Ainda não é o momento de julgar a importância de cada realização em sua carreira. Mas procure relembrar, em especial, as realizações que trouxeram resultados positivos para as empresas em que você trabalhou (por exemplo, maior qualidade em produtos, processos ou serviços na empresa, aumento de lucratividade, redução de custos, economias, redução de prazos para a execução de tarefas, serviços ou entrega de produtos, redução dos prazos das entregas realizadas por sua área, dentre muitas outras possibilidades). Passe para a próxima etapa apenas quando não lembrar de mais nada.

Fixando suas características pessoais e competências

Anote também, separadamente, suas características pessoais predominantes. Descreva quem você é em dez ou vinte adjetivos. Depois, você poderá reler e identificar forças que vão te ajudar e fraquezas que você deve trabalhar.

Faça também, à parte, uma lista de suas competências mais fortes: seus conhecimentos técnicos e habilidades, em especial aqueles que estejam mais relacionados aos seus atuais objetivos e à área de atuação profissional em que você deseja trabalhar.

Selecione suas melhores realizações

Com tudo anotado, fica mais fácil agora escolher quais das realizações que você relembrou são as mais importantes para os seus atuais objetivos profissionais, e quais conhecimentos e habilidades poderão ser mais úteis para os seus futuros empregadores ao desempenhar cargos dentro dos seus objetivos.

Destaque no papel quais são estas realizações e tente colocar uma ordem numérica do que é mais importante e o que é menos importante.

Com isso você poderá redescobrir pontos fortes em sua carreira e seu perfil, muito além das tarefas de rotina, como por exemplo:

  • A importância de seu papel em alguma tarefa ou projeto;
  • Sua liderança em projetos e equipes;
  • Melhorias que você levou a um determinado processo;
  • Economias que você promoveu para a empresa ao implantar ou aprimorar algum processo;
  • Resultados que você obteve para a empresa, sejam quantitativos ou qualitativos;
  • Conhecimentos em pontos estratégicos da sua área profissional.

Tudo isso também pode ajudar a você mesmo valorizar sua própria autoestima. Você irá perceber quantos desafios já enfrentou e venceu, quantas pessoas de relacionamento difícil já conseguiu conquistar, quantas situações inusitadas já viveu, quais suas mais importantes aptidões. Além disso, você ampliará sua própria consciência sobre todos os aspectos que poderão ou não compor o seu currículo, além de mentalizar a experiência já vivenciada. Isso ajudará a se apresentar profissionalmente em entrevistas e outras situações.

Guarde todas estas informações por escrito com carinho e já comece a trabalhar mentalmente as melhores maneiras de comunicá-las aos seus futuros empregadores em cartas de apresentação, currículos, entrevistas e reuniões, de modo que eles compreendam claramente quem você é, o que você faz de melhor e quais os conhecimentos que você tem, suas características pessoais e profissionais e os resultados que você já obteve para seus empregadores anteriores.

Você poderá retomar este processo a qualquer momento nas etapas posteriores da sua recolocação.

Reúna mais dados sobre você: formação, passagens em empresas e cargos, datas

Além de todas as informações que você reuniu sobre suas realizações, lembre-se que, para saber o que dizer sobre você mesmo, especialmente na hora de elaborar seu currículo completo, você vai precisar de dados como:

– Empresas em que você trabalhou;

– Datas em que você permaneceu em cada cargo exercido nestas empresas;

– Sua formação: instituições, cursos realizados nelas, assim como datas de conclusão dos cursos;

– Cursos complementares: escolas, nomes dos cursos, datas de conclusão, carga horária.

Talvez haja ainda os trabalhos de faculdade e/ou extracurriculares, monitorias, palestras, seminários e outras atividades que poderão acrescentar um conteúdo precioso a essa massa de informações inicial em nosso trabalho. Não se esqueça de seus trabalhos voluntários e atividades de ação social.

Parece que dá bastante trabalho fazer tudo isso, certo? Sim, mas não se esqueça: procurar trabalho é um trabalho. Trate o processo da maneira mais profissional possível e não pule esta etapa.

É provável que todas estas informações resultem em várias páginas, mas não se preocupe, o objetivo é esse mesmo. Nesta fase não sintetize nada, preocupe-se apenas em resgatar tudo o que já fez.  Depois é que você selecionará o que deve ou não entrar num currículo, o que deve ou não ser dito numa carta de apresentação, numa apresentação pessoal ou numa entrevista.

Depois de concluir esta tarefa, você terá praticamente tudo o que precisa para a próxima etapa, que é lapidar as informações que você reuniu e descrever da melhor forma possível cada informação que deve constar em sua apresentação pessoal, seja em entrevistas ou contatos pessoais, seu currículo e as cartas de apresentação que você escrever.

Mas este assunto fica para outro post aqui no nosso Manual da Recolocação Profissional!!

Este artigo é parte integrante do novo Manual da Recolocação Profissional, produzido pela Curriculum.com.br.
Novos artigos são publicados toda semana, até que o conteúdo integral do Manual esteja inteiramente publicado.

Acesse aqui mais artigos do Manual.

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
4351

Comentários

comentários