Antes de começarmos com uma série de posts sobre como montar um currículo, você sabe de onde veio a palavra “currículo”?

As primeiras menções de que se tem notícia do ato de se registrar competências e feitos aparecem no antigo Egito. Há cerca de 3.500 anos, artistas e estudiosos já relatavam seus feitos em papiro ou pedra.

“Curriculum” vem do latim “Curriculum Vitae”, que quer dizer “história escrita da vida”. Uma curiosidade: o plural de “Curriculum” é “Curricula”, e não “Curriculuns”, por ser uma palavra do latim, que  em alguns casos exige “-a” no final da palavra para formar o plural.

Mesmo sendo chamado por muitos por apenas “CV”, seu nome em língua portuguesa passou a ser “currículo”, e este sim é flexionado no plural à nossa maneira (“currículos”).

Vejamos como alguns dicionários e enciclopédias se referem a ele:

Michaelis – cur.ri.cu.lum vi.ta.e sm (lat) – Conjunto de dados pessoais, educacionais e profissionais de quem se candidata a um emprego ou a um curso de pós-graduação de uma universidade.

Universal – curriculum vitae   (Lat.) s. m. – carreira da vida (indicações biográficas, acadêmicas e profissionais).

Aurélio – curriculum vitae   [Lat., ‘carreira da vida’.] – Conjunto de dados concernentes ao estado civil, ao preparo profissional e às atividades anteriores de quem se candidata a um emprego, a um concurso, etc. [Pl.: curricula vitae.]

Barsa Planeta – Curriculum Vitae: – Conjunto de dados concernentes ao estado civil, ao preparo profissional e as atividades anteriores de quem se candidata a um emprego, a um concurso, etc.

Michaelis executive – curriculum vitae. – Breve relato escrito da história passada de uma pessoa, geralmente usado para apoiar um pedido de emprego. Poderia ser sinônimo de (résumé).  résumé. – Termo francês equivalente a “resumo”, que é uma breve listagem de um candidato a emprego, relativo à sua experiência de trabalho, educação, dados pessoais e outras informações pertinentes.

Mais curiosidades

Há apenas 20 anos, os padrões de um bom currículo eram bem diferentes do que vemos hoje. O currículo padrão era composto por mais de quatro folhas, trazendo informações como números dos documentos, formação escolar desde o primário, explicações detalhadas sobre cada cargo exercido, motivos de saída de cada empresa e a assinatura do profissional, inclusa logo abaixo de uma frase do tipo:

“As informações aqui contidas são totalmente verdadeiras, e dou fé respondendo sob pena da lei pela não veracidade das mesmas.”

Em outros países

A cultura de cada país influencia a elaboração de um currículo.  Vamos citar três exemplos, tendo em foco apenas o número de páginas:

  • No Brasil utilizamos atualmente, no máximo, duas páginas;
  • Nos Estados Unidos o currículo é chamado de “Resume” e normalmente se encontra resumido numa única página;
  • Já na Europa, o currículo pode ter três ou mais páginas.

Nos próximos posts, dedicaremos uma série de artigos sobre como fazer um bom currículo e como cuidar bem de cada um de seus itens.

Até lá!

Este artigo é parte integrante do novo Manual da Recolocação Profissional, produzido pela Curriculum.com.br.
Novos artigos são publicados toda semana, até que o conteúdo integral do Manual esteja inteiramente publicado.

Acesse aqui mais artigos do Manual.

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
3

Comentários

comentários