Essa é uma dúvida bastante comum na hora de um profissional em busca de emprego pensar em se divulgar para empresas e pessoas com poder de contratação.

O que é a carta de apresentação?

Como dissemos em artigo anterior aqui no Manual da Recolocação, a carta de apresentação contém inicialmente um resumo rápido sobre quem você é e quais pontos em sua atuação profissional podem ser úteis para a pessoa para quem você está escrevendo. Esta pessoa geralmente é alguém com poder de decisão na hora de contratar profissionais, ou às vezes alguém que pode levar você a uma pessoa com este poder de decisão.

Por ser uma carta geralmente dirigida a uma pessoa específica, deve ser altamente personalizada e:

  • ser remetida diretamente à pessoa com quem você quer falar;
  • procurar oferecer algo útil a esta pessoa para despertar o interesse dela em você;
  • oferecer a oportunidade de um contato mais próximo com você para uma conversa.

As cartas de apresentação são especialmente úteis para profissionais com perfil mais estratégico, mas podem ser um recurso interessante para vários perfis: analistas, supervisores, coordenadores, especialistas e consultores, até os níveis de média e alta gestão.

Quais os objetivos da carta?

Como você está enviando a carta a alguém que você ainda não conhece, os objetivos dela são:

  • apresentar-se positivamente à pessoa e criar uma boa impressão sobre você;
  • buscar uma oportunidade de iniciar um relacionamento vantajoso para ambos;
  • despertar o interesse da pessoa para um contato pessoal.

Como atingir este objetivo?

Em parte, alcançar os objetivos da carta depende de como você vai abordar a pessoa, do que você tem a oferecer de verdadeiramente útil a ela, e da forma como a pessoa perceberá sua utilidade ao ler a carta.

Em primeiro lugar, o tom assumido na carta colocará os possíveis interesses da pessoa com quem você quer falar em primeiro lugar, antes dos seus interesses pessoais. Não é interessante já dizer, desde o começo da carta, que você simplesmente está procurando emprego. O melhor é:

  • mostrar que você conhece algo que seja de grande interesse para a pessoa;
  • deixá-la saber que ela também tem algo interessante para você;
  • assim, oferecer a possibilidade de uma troca vantajosa de informações.

Como descobrir interesses da pessoa a quem você escreve

Essa é a parte mais “difícil”: como saber o que é interessante para aquela pessoa a quem você vai escrever?

Certamente você vai precisar fazer uma pesquisa prévia. Se você chegou a esta pessoa, provavelmente já realizou parte dessa pesquisa e já entendeu em que área ela trabalha. O próximo passo é entender o negócio da empresa em que ele atua e quais os principais desafios dela na área em que você atua profissionalmente.

Cuidado, porém, com pesquisas sobre a própria pessoa no campo pessoal nas redes sociais. Evite parecer invasivo. Dizer que você tem os mesmos hobbies que esta pessoa, por exemplo, para alguns até poderá parecer simpático, enquanto para outros poderá gerar desconfiança e questionamentos indesejados. Evite que isso afaste você do seu novo contato e lembre-se: a pessoa ainda não o conhece, e tem todo o “direito” de desconfiar…

A troca de informações pode acontecer inicialmente por meio de um telefonema, ou preferencialmente numa reunião, café ou almoço. Portanto, ao final da carta você deve se colocar à disposição para um contato.

Dicas para escrever a carta

Embora até seja possível encontrar por aí modelos prontos de cartas de apresentação, nenhum deles será personalizado da maneira como descrevemos aqui. A carta ideal, em sua essência, precisa passar à pessoa a certeza de que você está realmente falando com ela, sobre algo que seja de interesse específico dela, e não algo genérico.

É possível escrever algo genérico? Sim, se você não tiver informações sobre interesses específicos da pessoa a quem você escreverá, é possível escrever algo mais genérico, e você também pode usar nossa sugestão a seguir para isso, adaptando-a para esta situação. Mas lembre-se: cartas personalizadas tendem a dar mais resultados.

A seguir, uma sugestão de estrutura da carta de apresentação:

Saudação inicial

Comece simplesmente com “Prezado Sr. Fulano”, informando corretamente o nome da pessoa.

Apresentação pessoal

Inicie seu texto já criando uma imagem sobre sua experiência e área, por exemplo: “atuo como [cargo] há mais de X anos”.

“Gancho” para mostrar que você vai apresentar algo de interesse

Aqui você vai anunciar algo que possa ser de interesse da pessoa, mais ou menos assim: “e acredito que tenha adquirido conhecimentos e informações que podem ser bastante úteis para a [área X, em que você pode atuar] da [nome da empresa]”, especialmente sobre [coloque uma informação que você encontrou em sua pesquisa sobre a empresa e os desafios dela na sua área profissional].

Continuação da sua apresentação

Fale um pouquinho mais sobre você, para passar a ideia de que você tem autoridade sobre o assunto que vai tratar, por exemplo: “Antes, quero apresentar rapidamente algumas de minhas qualificações que me habilitam a tratar desse tema. Tenho atuado com [descreva em resumo pontos altos da sua atividade relacionados ao assunto que você vai propor], sou formado em [informe sua área de formação, especialmente se ela tiver ênfase ou foco no assunto tratado]”.

Assunto principal da carta

Aqui vai o resultado da sua pesquisa: “Percebo que a [empresa x] tem desafios na [aqui você deve falar sobre desafios da empresa em sua área de atuação, que você encontrou em sua pesquisa sobre os negócios da empresa]”.

Informações úteis sobre o assunto

Neste ponto você deve falar como pode ser útil na superação dos desafios descritos: “Refletindo sobre este tema, acredito que…” [e aqui você revela a informação que pode ser útil]).

Mostre seus interesses

É preciso mostrar que você tem interesse em oportunidades na empresa: “Espero que estas informações sejam úteis e também tenho grande interesse em oportunidades de auxiliar a [empresa x] nestas e em outras questões da área.”

Proposta para um contato mais próximo

Convide a pessoa para um contato em tom de sugestão: “O que acha de conversarmos mais a respeito? Apreciaria a oportunidade de um contato telefônico ou quem sabe uma reunião ou um café para falarmos mais sobre o assunto.”

Conclusão e saudações finais

Daqui por diante, você deve simplesmente seguir padrões de cordialidade para encerrar a carta: “Desde já agradeço sua atenção e fico à sua disposição para um contato, em horário de sua conveniência. Atenciosamente, (…)”.

Assinatura da carta

Coloque seu nome e, sob ele, seus dados de contato: celular, e-mail e mais um endereço eletrônico se for o caso (home page, rede social profissional, etc.)

 Cuidados no envio

Tenha a certeza de que a carta está corretamente endereçada à pessoa:

  • nome da pessoa corretamente grafado;
  • departamento dela, para facilitar a chegada da carta às mãos da pessoa na empresa;
  • endereço correto e atualizado.

Encaminhe a carta apenas para pessoas com poder de decisão sobre a contratação de profissionais no seu nível hierárquico atual. Pouco adiantará encaminhar, por exemplo, para pessoas no mesmo nível que você. Além de estas pessoas provavelmente não terem como decidir sobre sua contratação, poderão encarar você como um concorrente.

Últimas sugestões

É claro que existem outras maneiras de abordagem nas cartas de apresentação. Você pode falar sobre pontos fortes da empresa em questão que você admira que o inspiraram a buscar um contato, por exemplo. É fácil adaptar a sugestão acima para trabalhar esta outra abordagem. O importante é levar algo que seja realmente RELEVANTE para a pessoa com quem você deseja iniciar um contato. Isso vai requerer de você alguma habilidade de marketing para identificar quais necessidades das empresas você pode atender a partir de suas qualificações como profissional.

Depois de enviar

Aguarde alguns dias após o envio da carta. Se houver resposta, muito bem! Você já atingiu um primeiro objetivo, que é iniciar um contato. Daí você deve estar preparado para este contato, atender prontamente seu celular e ficar atento aos seus e-mails.

Caso não receba resposta em alguns dias, você pode tentar um contato por telefone ou e-mail, referindo-se à sua tentativa anterior de contato. Seja bastante educado e cuidadoso para não parecer “pegajoso” e invasivo neste momento. Diga que encaminhou algo que pode ser de interesse há alguns dias e ouça o que a pessoa diz em retorno. Talvez ela ainda não tenha lido. Ela poderá pedir um tempo para ler a carta, então diga que você pode reenviar caso ela deseje.

Se neste contato a pessoa quiser saber do que se trata, esteja preparado fazer uma rápida autoapresentação pessoal – que merece um artigo à parte aqui no Manual da Recolocação Profissional – e falar com desenvoltura e naturalidade sobre o assunto tratado na carta. Busque a continuidade do contato e a possibilidade de uma reunião, seja na empresa ou num café ou almoço. Deixe a pessoa à vontade para escolher a forma de contato, datas e horários, caso ela tenha interesse. No final do contato, agradeça sempre, mesmo que a resposta seja um “não” e mostre que continua à disposição.

Pronto! Se você chegou até a pessoa, conseguiu o que queria: um contato para troca de informações e, quem sabe, a oportunidade de ser cotado para uma contratação.

Mesmo que a contratação não aconteça, tenha em mente que você pode trocar ideias com a pessoa, pedir sugestões, informações que possam ser úteis para sua busca ou até mesmo para chegar a outras pessoas com quem um contato pode ser interessante.

De toda forma, prepare-se muito bem para este contato pessoal e esteja pronto para oferecer seus serviços em meio à conversa, em momento oportuno.

Até o próximo artigo!

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
6

Comentários

comentários