Ser autêntico e verdadeiro é o conselho que todos os especialistas em seleção dão para quem quer se destacar em entrevista de emprego. Mas, às vezes, sem perceber, já estamos distribuindo frases clichês, porque elas são a primeira coisa que vem à mente. Para impressionar, mesmo, esqueça o repertório batido e veja essas sugestões.

Por que eu deveria contratá-lo?

Resposta clichê: dizer que será dedicado, dará o seu melhor ou que tem o perfil que a empresa busca.

Melhor resposta: falar qual contribuição você dará, efetivamente, justificando com a sua experiência. Por exemplo: “Acabo de terminar um curso de gestão de pessoas, e sei que consigo liderar uma equipe para que ela se torne mais produtiva”. “Nos primeiros momentos da conversa, identifique as ‘dores’ que eles querem sanar com o preenchimento da vaga, isso vai ajudar a moldar o discurso”, diz a psicóloga especialista em gestão de pessoas, Bia Nóbrega.

Qual é a sua maior qualidade e o seu maior defeito?

Resposta clichê: recorrer a palavras da moda como “protagonismo” ou “resiliência” para se qualificar. Ou listar como diferencial o que deveria ser obrigação, como pontualidade, por exemplo. Já o defeito mais ouvido pelos entrevistadores é o “perfeccionismo”, que todo mundo sabe que nem defeito é.

Melhor resposta: diga uma qualidade que tenha a ver com a vaga e comprove com o histórico profissional. Exemplo: “Eu assumi uma cartela de clientes importantes da empresa, porque o meu atendimento é diferente, eu consigo me colocar no lugar do outro”. Já para o defeito, o melhor é indicar uma habilidade técnica que você ainda não domina, como mexer no Excel. “A empresa entende que isso pode se resolver com um curso. Um problema de comportamento, não”, diz a consultora em desenvolvimento organizacional Leylah Macluf.

Onde você se vê daqui a cinco anos?

Clichê: prever um crescimento meteórico de carreira –um analista Jr., nesse caso, se projetará gerente.

Melhor resposta: tem de considerar o perfil da empresa. “Empresas do segmento de tecnologia, normalmente, permitem crescimento mais rápido. Já no segmento bancário, o crescimento tende a ser mais conservador”, explica Fábio Nogueira, diretor da Wyzer, empresa especializada em recrutamento de executivos. O porte da companhia também conta, já que em uma empresa pequena você dificilmente virará diretor. Uma boa resposta é dizer que, em cinco anos, já gostaria de ter passado por outras áreas. Se for o caso, não tenha medo de revelar que não se vê como gestor, mas especialista na sua função.

Como você se descreve?

Clichê: sem defeitos ou erros. Ou seja, a perfeição em pessoa.

Melhor resposta: fale de um mix de aspectos que compõem a sua personalidade. É preciso dar destaque para as competências profissionais, mas também citar algum ponto que tem trabalhado para melhorar –como a dificuldade em delegar tarefas– e incluir quem você é no dia a dia. Tem filhos? Pratica esportes? Gosta de viajar? Tem algum hobby? Segundo os especialistas, o entrevistador quer conhecer a pessoa, não só o profissional.

Por que você está procurando um novo emprego?

Clichê: porque a empresa atual não oferece mais desafios.

Melhor resposta: é preciso trazer o problema para você e não reclamar do atual ou antigo empregador. Você pode dizer que busca uma empresa mais alinhada com os seus valores, que está insatisfeito com o salário ou que quer trabalhar em uma nova área/com um novo produto. “Caso tenha sido demitido, informe o contexto do setor e do mercado”, diz Fábio Nogueira.

Fonte: UOL

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários