Os hostels viraram a opção preferida de hospedagem de muitos viajantes: com preços mais módicos do que os dos hotéis tradicionais, eles também propiciam a oportunidade de conhecer pessoas novas.

Mas e se você pudesse entrar em contato não apenas com novas experiências de vida, mas também com novas ideias de negócio? É isso que uma casa de Bangalore, na Índia, propõe: um hostel apenas para quem está criando empreendimentos.

Centro de inovação

A cidade de Bangalore é considerada o “Vale do Silício da Índia”. O local é cheio de talentos na área de tecnologia e de empresas do ramo; a penetração de aparelhos móveis é cada vez maior, favorecendo a criação de negócios mobile; há uma grande presença de investimentos; e, por fim, nota-se um ambiente empreendedor colaborativo.

Segundo a BBC, inovadores de outros lugares da Índia – e alguns até de outros países – vão a Bangalore procurando por ideias, investidores e locais de trabalho. Quando eles chegam à cidade, precisam de um lugar para se hospedar.

Para quem respira empreendedorismo, um hotel tradicional pode parecer entediante. É aí que o chamado “Construkt Startup Hostel” entra em ação. “Nossa crença fundamental sempre foi a de que inovações disruptivas e aprendizados eficientes para o amanhã serão trazidos por seus colegas e quando pensamentos transdisciplinares colidirem”, informa o hostel no seu website.

O hóspede poderá encontrar-se com viajantes, designers, artistas, especialistas em tecnologia e empreendedores que amam compartilhar suas histórias. Os clientes são chamados de “hackpackers”: algo como “nômades inovadores.”

O local é uma iniciativa da Construkt, uma plataforma para empreendedores conhecida por, por exemplo, fazer um “festival de startups.”

Espaços

O Construkt possui 20 camas, ao todo (um dos quartos é reservado apenas para empreendedoras). O ponto-alto do local é composto pelas áreas de convívio, ideais para fazer networking e para realizar pequenos eventos (confira as fotos acima). Por exemplo, a maioria das noites é ocupada por sessões de apresentação e contestação de ideias de negócio.

Shashikiran Rao, um dos fundadores do hostel, conta à BBC sua ideia com essas discussões. “Nós pegamos a ideia e a desmontamos, deixando todo mundo participar e procurar falhas. Nós somos muito bons nisso. A ideia é ajudar empreendedores a desenvolverem seus planos”. Algumas das questão perguntadas são “o que é único na sua ideia?” e “com quem você faria parcerias para viabilizar esse negócio?”

O hostel está pronto para o uso de notebooks, contando com internet cabeada e wi-fi. O banheiro, a cozinha, a lavanderia e a livraria são compartilhados pelos hóspedes. Em uma das paredes da casa, há uma lousa descrevendo todos os eventos empreendedores que ocorrem em Bangalore: desde um encontro com investidores até uma palestra sobre análise de dados, por exemplo.

De acordo com o anúncio no Airbnb, a diária do hostel custa 44 reais por pessoa – na plataforma, apenas quatro camas são anunciadas. Para uma reserva semanal, o desconto é de 10%; se fizer uma reserva mensal, o hóspede pagará 40% a menos.

O site Tech Circle conta que o Construkt planeja oferecer de 100 a 120 camas até o fim de seu primeiro ano financeiro. Os futuros locais de instalação, além de Bangalore, são as cidades indianas de Hyderabad, Nova Delhi e Pune, além do estado de Goa.

size_810_16_9_hostel-10

size_810_16_9_hostel-11 size_810_16_9_hostel-9 size_810_16_9_hostel-8 size_810_16_9_hostel-4 size_810_16_9_hostel-3

Fonte: Exame.com 

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários