Plano de carreira é conhecido como um benefício dado pela empresa a seus funcionários. Com ele, o profissional pode saber por quais etapas passará na hierarquia corporativa e quanto tempo ficará em cada uma delas, além das competências esperadas dele.

Mas, segundo especialistas em RH consultados pelo UOL, essa ideia formal do que é um plano de carreira está caindo em desuso.

“Essa visão, de entrar na empresa como estagiário e sair presidente, é obsoleta, fora de moda”, afirma a especialista em coaching Fernanda Dall’Anese. “Às vezes acontece de trilhar um caminho brilhante e chegar a esse ponto, mas é raro. O mais comum é se acomodar, achar que a empresa vai resolver a carreira dele e se decepcionar”.

Isso está ligado às mudanças no mercado de trabalho. Se o objetivo profissional de gerações anteriores era ganhar uma chance em uma grande empresa e construir uma carreira sólida e estável, os novos profissionais querem mais mudanças.

Eles passam menos tempo em cada companhia e estão mais dispostos a riscos, aceitando trabalhar em empresas novas, menores ou mesmo abrindo o próprio negócio.

Mesmo assim, o planejamento é visto como um passo importante para atingir os objetivos que deseja. “Se você não planeja o que fazer para chegar lá, a chance diminui e o caminho fica mais aleatório”, diz Lucia Costa, especialista em gestão de carreira da Stato, empresa de recursos humanos.

Veja a seguir dicas de como desenvolver esse planejamento.

Qual é o meu objetivo?

O primeiro passo para estabelecer seu plano de carreira é identificar o que gostaria de fazer e aonde quer chegar. Isso envolve tudo, como profissão, tipo de trabalho, nível hierárquico e mercado que pretende atender.

“Tem de criar um cenário com possibilidades lá na frente. Não que vá conseguir tudo o que quer, mas não existe plano sem saber aonde almeja chegar”, afirma Lucia Costa.

O que eu sei?

O passo seguinte é analisar o que já possui ou foi conquistado. Como Lúcia Costa diz, uma série de perguntas vão ajudar nessa hora. “Olhe para dentro. Qual é a sua idade? Que cursos fez? O que sabe fazer? No que é bom? O que gosta de estudar? Que línguas fala? Valoriza mais a vida profissional ou pessoal?”

A construção do plano de carreira será um caminho do que se tem hoje para o que se deseja.

Quanto tempo dura meu plano?

O plano de carreira pode ter diferentes durações. Pode ser de curto, médio ou longo prazo. Cada um vai definir o que é melhor para si.

Para quem nunca fez um plano, começar por um de curto prazo é sempre mais fácil. Essa também é a melhor opção para quem está começando a carreira, porque um objetivo próximo é mais real e atingível.

O ideal, porém, é que o plano contenha metas de longa e curta duração.

O que eu preciso?

Definido o objetivo e o que se tem, é preciso identificar o que é necessário para alcançá-lo.

“Às vezes precisa juntar dinheiro para pagar um curso. Entrar em fóruns, grupos ou comunidades na internet para se inserir no assunto que não domina. Mudar um comportamento. Pode ser trocar de empresa, porque precisa passar por uma maior, ou estudar uma nova língua”, diz Lucia Costa.

Nesse momento, conversar com profissionais mais experientes ou mentores pode ajudar. Principalmente com aqueles que estão aonde você quer chegar.

Consigo alinhar meu plano com a empresa?

 

Muitas empresas oferecem um plano de carreira aos seus funcionários. Alinhar o seu plano ao da empresa pode ser uma vantagem.

Para isso, é possível compartilhar seu plano com chefes ou mesmo o RH. Eles podem, então, ajudar em alguns objetivos. Por exemplo, se o seu plano de carreira passa por morar em outra cidade ou país, ela pode proporcionar isso.

Estou no caminho certo?

Para Lucia Costa, o plano de carreira é uma trilha a ser desbravada e não um trilho de trem. “Existem diferentes caminhos para se atingir um objetivo”, afirma. Ou seja, não é porque você se espelha em alguém que terá exatamente a mesma carreira daquela pessoa.  E, mesmo com um plano traçado, desvios de rota são naturais.

Fernanda Dall’Anese sugere parar 30 minutos por semana para refletir sobre a carreira e os rumos que está tomando, se estão de acordo com os planos e o que pode ou deve ser feito de maneira diferente.

Fonte: Economia Uol

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários