Currículo para estagiários e trainees

É muito comum que, nessa fase de sua vida profissional, você tenha dúvidas e se sinta inseguro na hora de montar um currículo, pois ainda não tem muita ou nenhuma experiência profissional. Mas não desanime, pois você pode ter um currículo interessante mesmo assim.

Além disso, muitas empresas preferem profissionais sem experiência na hora de contratar. Muitas empresas querem formar o profissional, ensinar como fazer e, nestas horas, contratar alguém sem experiência significa contratar alguém sem vícios. Portanto se anime, pois o fato de não ter experiência pode ser benéfico em alguns casos.

É importante que você saiba destacar no currículo seu objetivo profissional (cargo e área em que deseja atuar), seus principais pontos fortes e, no caso de ter pouca ou nenhuma experiência profissional, destacar sua formação e cursos complementares em sua área, além de, é claro, as realizações de projetos acadêmicos durante a universidade. Além disso,  as empresas também valorizam muito candidatos que já tenham participado de atividades de voluntariado. Se esse for o seu caso, não deixe de informar no seu currículo!

Caso você tenha feito alguma viagem ao exterior para estudos ou trabalho de férias, também é muito importante mencionar e deixar essa informação em destaque, pois atualmente é um grande diferencial no mercado de trabalho.

Agora que você já sabe todas as informações que o seu currículo de estagiário precisa ter, aqui vai uma sugestão para organizá-las da melhor maneira possível, de modo a despertar a atenção dos selecionadores.

 1. Reunir informações e dados

Reúna dados sobre cursos de formação ou complementares, datas de início/fim, empresas onde trabalhou, cargos, datas de entrada/saída, habilidades em softwares, certificados, dados para contato, viagens ao exterior. Relembre feitos profissionais e resultados alcançados para a companhia e anote. Como já dissemos, quem não tem experiência profissional pode anotar sobre atividades acadêmicas ou de voluntariado.

2. Definir objetivos

Defina a área e os cargos em que deseja atuar, pensando nos objetivos de curto prazo (em qual cargo e/ou área você está apto para desempenhar atividades nesse início de carreira), que devem ficar claros no currículo.

3. Elaborar a descrição das realizações profissionais

Eleja quais realizações identificadas entrarão no seu CV. Crie frases de 15 a 25 palavras para cada uma delas, descrevendo o que você fez, como fez e quais os resultados positivos obtidos para a empresa.

4. Compor o currículo

O currículo é composto da seguinte maneira:

Cabeçalho: exibe seu nome, dados pessoais (nacionalidade, idade, estado civil) e seus principais dados de contato (endereço, telefones, e-mail).

Objetivo profissional: é recomendado incluir para facilitar a identificação da área profissional à qual o currículo se destina.

Resumo de experiências: é aqui que você vai se diferenciar dos demais candidatos, falando sobre suas principais realizações. O resumo é subdividido em:

a) Experiência global: a primeira frase, que indica tempo de experiência (se houver), área de atuação predominante na experiência e principais organizações onde trabalhou;

b) Principais realizações: aqui vão as frases que você criou sobre o que já fez e resultados que obteve. Coloque em grau decrescente de importância.

Formação: informe o nome da instituição de ensino, nome do curso e ano de conclusão previsto ou efetivo. Informe ano de trancamento se for o caso. Para informar mais de um curso, coloque-os do mais recente para o mais antigo.

Conhecimentos em informática: inclua softwares, sistemas operacionais e conhecimentos sobre internet, mas coloque apenas o essencial, além de ferramentas importantes para sua área específica, caso saiba trabalhar com elas.

Idiomas: informe os idiomas estrangeiros que você conhece, mencionando seu grau efetivo de conhecimento. Não exagere suas aptidões. Afinal, elas podem ser testadas em entrevistas e, é claro, durante o desempenho da função.

Viagens: de preferência a viagens que acrescentaram algo em sua vida profissional, bem como trabalho de férias, viagem de intercâmbio e o aprendizado de outro idioma. É interessante colocar o país, o motivo da viagem e o ano em que ela aconteceu.

Experiências profissionais (se tiver): inclua nome da empresa, datas de entrada/saída e os cargos desempenhados. Ordene da experiência mais recente para a mais antiga. Se você ainda não tem experiência formal em empresas, mas já desempenhou atividades, por exemplo, em centros acadêmicos ou organizações voltadas a atividades de voluntariado, mencione o nome da entidade/organização.

Cursos complementares: inclua nome do curso e da instituição, com ano. Inclua apenas os recentes ou mais importantes para a área que é seu objetivo.

Lembre-se sempre de que o objetivo do currículo é chamar a atenção do recrutador e conquistar a entrevista.  Portanto, aproveite a melhor época, faça um bom currículo e boa sorte!