Já estamos cansados de ouvir: 2015 não será um ano muito animador. Para quem tem um trabalho do qual não gosta, essa parece ser uma notícia pior ainda. Afinal, é uma hora complicada para conseguir um novo emprego ou começar um negócio. E tudo indica que não são poucas as pessoas insatisfeitas na carreira.

Nos Estados Unidos, por exemplo, um estudo da Gallup de 2014 revelou que só 13% se consideram engajados no trabalho. Mas há quem diga que não é preciso mudar de emprego para ficar mais feliz. Na verdade, dá até para transformar o trabalho que você já tem em algo mais interessante. Isso tem até nome: job crafting, ou “artesanato de trabalho”.

O conceito foi desenvolvido por professores da Universidade de Yale e da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, depois dos resultados surpreendentes de um estudo sobre felicidade em ocupações consideradas, tradicionalmente, insatisfatórias, como auxiliar de limpeza.

Eles descobriram que parte dos funcionários se considerava feliz e motivada para exercer até mais do que seus cargos pediam. “Esses profissionais faziam mudanças na forma como se comunicavam e em como viam seu trabalho”, diz Jane Dutton, professora na Universidade de Michigan e uma das criadoras do conceito. “E essa descoberta dá opções para pessoas em qualquer tipo de trabalho.” Isso quer dizer que você também pode transformar seu atual emprego em algo mais interessante.

1ª atitude: Repense suas tarefas

Pense em como cada uma de suas tarefas corresponde ou não a seus pontos fortes e desejos. Com isso em mente, o desafio é mudar pequenas coisas para ter mais satisfação. Vale priorizar, quando possível, aquilo que você já faz com mais prazer.

Acrescente atividades

Aceite e sugira novos projetos: pode ser uma iniciativa ligada a trabalhos sociais, por exemplo, ou uma ideia que, além de ajudar a empresa, auxilie a suprir um desejo pessoal. Muitos profissionais podem pensar que isso vai apenas aumentar a quantidade de trabalho.

Mas não é assim. Fazer algo que dá satisfação abre novos caminhos profissionais e aumenta a produtividade. “As empresas estão esperando essas iniciativas”, diz Adriana Prates, presidente da Dasein Executive Search, consultoria de recolocação de Minas Gerais.

Peça para trocar

Converse com colegas para fazer acordos e trocas entre uma tarefa e outra. Em um projeto em equipe, quem gosta de trabalhos mais analíticos pode elaborar relatórios e quem é mais sociável pode ficar responsável pela apresentação aos clientes. Olhe também para aquelas tarefas que todos evitam, mas que sempre precisam ser feitas. Por que não se aproveitar delas e criar uma forma só sua de dar conta daquilo?

Inspire confiança

Deixe claro para os outros que você não vai abandonar suas obrigações, mesmo que assuma novas tarefas. Mostre que seus esforços estão de acordo com os resultados que precisa entregar, assim os outros terão segurança sobre seu comprometimento.

2ª atitude: Transforme seus relacionamentos

Um dos segredos para ter mais satisfação é mudar o modo de se relacionar com as pessoas com quem convive no trabalho — sejam colegas, chefes, sejam clientes. Na pesquisa feita pelos acadêmicos de Yale e Michigan, os funcionários de hospital identificados como os mais felizes eram os que criavam as relações mais significativas com os pacientes que atendiam.

Aproxime-se

Perguntar como está o dia de seu colega, se oferecer para ajudá-lo ou sugerir uma pausa para um café pode mudar o modo como você e os outros se veem. “Crie oportunidades para que as pessoas busquem mais por você. É assim que se formam grandes alianças”, diz Adriana.

Faça ajustes

“Algumas pessoas nos desgastam e outras nos dão energia”, afirma Jane. Por isso é importante analisar cada relacionamento individualmente para notar com quais colegas (e chefes) é mais fácil conversar, quais são mais fechados, quais funcionam melhor por e-mail. Essa análise ajuda a entender o perfil das pessoas que o cercam e a ajustar suas atitudes.

Construa relações

Criar novas conexões deixa seu trabalho mais estimulante. Você pode se voluntariar para ser o mentor de novos contratados, ou então pedir para participar mais de reuniões com pessoas de outras áreas para conhecê-las melhor.

3ª atitude: Redefina seu trabalho

As pessoas mais satisfeitas criam uma definição própria do que é o trabalho — e não ficam presas às tarefas e às habilidades definidas originalmente pela empresa para aquela função.

Ou seja, é mais feliz quem se transforma. Um dos entrevistados pelos pesquisadores americanos, ao ser questionado por que fazia diferente, disse que aquilo não era parte de seu emprego, mas parte de quem ele era.

O modo como você pensa molda seu dia e sua definição de propósito. “A satisfação está em sua relação com o trabalho, e não no trabalho em si”, diz Renato Guimarães, da Fundação Getulio Vargas de São Paulo.

Expanda suas percepções

Pense em qual é o sentido real de seu trabalho. Pode ser a satisfação ao perceber que resolveu o problema de um cliente, a percepção de que seu esforço ajuda no crescimento da empresa ou a alegria por ter sido importante no desenvolvimento da carreira de um colega.

Veja o lado bom

Encontrar significado ajuda a ter ânimo nas horas difíceis. Lembre-se das tarefas que mais lhe dão prazer e são relevantes para você no dia a dia. Tente se concentrar nelas e gastar menos energia pensando em como algumas atividades são chatas.

4ª atitude: Faça mudanças pontuais

Não dá para mudar todo o seu trabalho ou tentar fazer isso o tempo todo. “Nunca a vida vai ser um mar de rosas, é preciso aceitar isso”, diz Nélio Bilate, consultor de São Paulo. Mas é importante pensar nas pequenas vitórias para se motivar.

Comece aos poucos

Separe 15 minutos de seu dia para fazer algo que desenvolva sua habilidade favorita — se é bom com palavras, escreva um e-mail longo; se gosta de conversar com pessoas, dê um telefonema para retomar um contato. Faça disso um hábito.

Enxergue possibilidades

Fique atento às chances que podem surgir para fazer algo de forma diferente — como repensar a estrutura de uma reunião. “O melhor conselho para encontrar satisfação é experimentar sempre”, diz Jane.

Saiba escolher aliados

Quando pensar sobre uma mudança complexa, concentre-se em conversar com as pessoas mais propensas a aceitar transformações. Busque aliados cujos objetivos e interesses tenham a ver com sua ideia e crie um time que vá lutar pela inovação.

Por Bárbara Nór, da VOCÊ S/A | Fonte: Exame.com

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários