Ele tem menos de 20 anos. Daqui a 15 anos, ele estará abaixo dos 35. E você? OK, agora você está se sentido velho (eu também!). Mas a idade em si não muda nada. Como – e o que você pensa – sim.

Esse jovem pensa de outra forma. Ele não está tão preocupado com protocolos e horários. Ele entende que executar várias tarefas ao mesmo tempo é sinônimo de produtividade, que as relações pessoais não são tão importantes quanto as relações em mídias digitais. Para ele, a vida é aqui e agora, sem enrolação ou muito planejamento. Plano de aposentadoria, segurança financeira de longo prazo, planejamento com visão de 10 anos? Esqueça, nada disto.

Se você tem mais de 20 anos deve se lembrar que pensava de forma muito diferente no início da sua vida. Não estou falando de sonhos ou menos experiência, mas sim de pensamentos e ações que atingimos com a maturidade, com a vivência. E como bons seres humanos que somos, projetamos que todos os jovens também passarão por essa transformação, esse “amadurecimento”, e no futuro serão parecidos conosco, hoje. Mas como diria meu filho…”só que não”. Infelizmente, estamos enganados.

O principal motivo é que esses jovens vivem em outro ambiente, um novo mundo. Um mundo onde a parte física é complementar à parte digital. Aprender a dirigir um carro talvez não seja uma “grande coisa” (eu aprendi em uma Brasília VW 1978, era o máximo!). No caso deles, não haverá motorista, e eles sabem disto. Os relacionamentos continuarão a crescer por mídias digitais, onde o simples “olhar uma pessoa usando uma lente de contato digital” possibilitará convidar essa pessoa para sua rede digital, e acessar a vida dela, online. E, é claro, poderemos fazer comida gourmet em casa, usando impressoras 3D e assinando eletronicamente receitas online de grandes Chefs. E, quando estiver doente, ir fisicamente ao médico será muito raro, pois teremos a realidade aumentada para que o médico nos examine virtualmente, com diagnósticos auxiliados por sensores em nossas roupas e corpo.

Mas sem dúvida, a onda de maior crescimento – e disrupção – daqui para a frente será a Inteligência Artificial. Machine Learning está mudando a forma como as empresas atingirão produtividade, principalmente em processos de negócio. Imagine processos financeiros sendo melhorados exponencialmente, hora a hora, por milhões de cenários aplicados por máquinas “pensantes” concluindo, por exemplo, que o pagamento de uma nota deve ser feito 10 minutos antes do seu vencimento pois isto vai gerar uma economia para a empresa, e já investindo automaticamente esta economia em uma aplicação financeira que vai render muito mais nas próximas 24 horas. E que parte do lucro alcançado nesta operação pode ser retornado para um cliente como “bônus” por ele ser um bom pagador. Tudo isto 100% seguro, operacionalmente infalível, e realizado de forma individual para cada cliente, para cada transação, mesmo que sua empresa tenha 100.000 clientes ou mais espalhados pelo mundo. Ficção? Já estão disponíveis tecnologias para casos como este que são o futuro dos próximos sistemas de gestão.

Para fechar, olhe agora para aquele estagiário no canto da sala. Sim, ele está mais preparado para tudo isto do que você. Que tal convidá-lo para um café e entender como ele pensa, o que acha deste futuro, como ele pode contribuir mais para o seu negócio, para a sua vida?

Afinal, ele poderá ser seu chefe muito em breve…

*Orlando Cintra é Vice Presidente Senior para Inovação e Plataforma Digital da SAP Brasil

Fonte: Administradores

Em busca de novas oportunidades de trabalho?
Milhares de vagas esperam por você.
Clique aqui e boa sorte!
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários