Todo profissional que almeja o sucesso procura dar o máximo de si no trabalho para que a recompensa chegue. Mas muitas vezes, na busca de ser um profissional excelente você pode não perceber que algumas características que são vistas com bons olhos pelos recrutadores, em um primeiro momento, podem ser a sua maior inimiga em um futuro próximo.

A especialista em carreira Isis Borge, da Robert Half, exemplificou situações como essa e listou 7 perfis de pessoas com características que muitas empresas procuram, mas que depois de certo ponto podem ser prejudiciais para a carreira. Confira:

1.O coruja

Sempre tem aquela pessoa no trabalho que é a última a sair. Esse tipo de profissional pode acreditar que vai ser visto “com bons olhos” pelo seu superior se fizer esse tipo sacrifício extra. Mas você vai se surpreender com o que seu chefe pode pensar sobre esse seu esforço de ficar horas a mais no escritório.

“As empresas estão mensurando a produtividade, sair mais tarde não necessariamente significa que você fez mais”, explica Borge. Segundo ela, é mais importante o profissional estar focado durante o expediente e fazer tudo que está ao seu alcance dentro do seu horário, do que ficar até mais tarde apenas para impressionar.

Além disso, existe a preocupação com a vida fora do trabalho. “Se um funcionário fica muito tempo no trabalho pode ser prejudicial à saúde, além de ser importante ter uma vida social e momentos de lazer”, explica a consultora.

2.O multitarefa

Segundo Borge, as empresas buscam por profissionais que sejam capazes de lidar com mais de uma coisa ao mesmo tempo. Mas tudo tem limite.

Enquanto fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo pode mostrar que você é eficiente, pode provar também que você não consegue entregar tudo com qualidade. Quando divide sua atenção entre tarefas, muitas vezes você sacrifica eficiência e precisão.

“Esse profissional não sabe dizer não. Vai acumulando tarefas e isso passa a ser um problema quando ele não sabe discernir qual responsabilidade é mais importante ou quando se perde nos prazos de entrega”, orienta a consultora. Segundo ela, o resultado, a entrega da tarefa deve ser prioridade.

3.O ambicioso

Ser ambicioso é uma característica muito importante para crescer profissionalmente. “As empresas procuram profissionais com ambição porque serão funcionários que serão produtivos e que vão se empenhar em ajudar a companhia”, diz Borge. No entanto, há um limite entre ambição e arrogância. “Se a pessoa exagerar na ambição ela pode se tornar arrogante e inapropriada, já que nada do que os outros fizerem estará bom e ela nunca vai estar satisfeita com sua atual posição”, explica a consultora.

4.O simpático

Esse perfil de profissional tem a competência de relacionamento interpessoal desenvolvida. É aquele que fala com todo mundo e todos gostam dele. “É claro que isso é importante, os recrutadores buscam pessoas que saibam lidar com todos e que trabalhem em equipe bem”, explica Borge. No entanto, a sociabilidade no ambiente de trabalho tem limite, segundo a consultora.

“As conversas na copa e as piadas no corredor não devem atrapalhar seu desempenho com as tarefas que devem ser entregues. Tudo é uma questão de equilibrar uma característica boa com a eficiência”, diz.

5.O perfeccionista

Alguns profissionais são extremamente detalhistas, e até certo ponto isso é ótimo porque a qualidade em seus trabalhos é quase sempre garantida. Mas segundo a consultora, o problema é que esse perfeccionismo com tudo não pode ser sinônimo de demora. “O profissional não pode se preocupar demais e perder prazos importantes. Por exemplo, quando tem uma apresentação ficar revisando os slides milhares de vezes antes de entregar, mudando cores e pequenos detalhes e no fim atrasa o horário de entrega para o chefe”, explica Borge.

6.O apressado

Por outro lado, tem aquele profissional que quer fazer tudo o mais rápido possível. “Há profissionais com um senso de urgência para tudo. São imediatistas”, explica Borge. E segundo ela, tem dois pontos a serem considerados: muitas vezes eles não entendem que nem todo mundo acompanham a velocidade deles e que nem sempre a velocidade é a prioridade, a qualidade é igualmente importante. “O maior problema é quando esse tipo de pessoa não é atendida e perde a cordialidade na forma de se posicionar porque não concordou com o atraso”, explica.

7.O objetivo

Um outro perfil representa aquele profissional que é objetivo – demais. Claro que objetividade é essencial porque pode ser sinônimo de eficácia no dia a dia profissional, mas sempre com ponderação. “O excesso de objetividade pode ser tornar grosseria. O profissional é assertivo, mas não mede palavras, fala sem pensar, de forma muito direta. Isso pode ser muito prejudicial para os relacionamentos da pessoa no trabalho”, explica Borge.

Fonte: InfoMoney

Em busca de novas oportunidades de trabalho?
Milhares de vagas esperam por você.
Clique aqui e boa sorte!
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
2

Comentários

comentários