13 dicas para te ajudar a se recolocar no mercado de trabalho

A taxa de desemprego no Brasil vem subindo mês a mês e estamos vivendo o pior resultado na criação de empregos dos últimos anos. A marca já atingiu os dois dígitos, em números absolutos já são 10,4 milhões de desempregados o que representa a maior taxa da série histórica do IBGE.

Esse dado é do trimestre dezembro, janeiro e fevereiro e representa uma alta de 40% em relação ao ao mesmo trimestre, registrado no ano passado. Uma taxa extremamente alta para um período tão curto e que nos deixa muito temerosos de que este número possa ainda piorar, quando tivermos contato com os novos resultados que estão para sair.

Diante deste cenário, todos os dias, cada vez mais profissionais se deparam com o desemprego e com o consequente desafio de ter de se recolocar no mercado de trabalho.

Oo que fazer? Por onde começar? Nessa situação, o melhor aliado do candidato é a informação. Então ai vão 13 dicas fundamentais para quem busca um emprego.
(e são 13 justamente para enfrentar o azar de vez e ter sorte)

Primeiramente, você precisa dar atenção a você mesmo

1. Não se desespere

Por mais desagradável que estar desempregado e praticamente sem rotina possa ser, não se desespere. Talvez venham dias difíceis, mas mantenha a confiança de que irá conseguir sua recolocação profissional. Mesmo em crise, vivemos num grande país, com um grande mercado de trabalho. As empresas sempre estão à procura de profissionais. Portanto, ânimo, confiança e esperança!

2. Organize sua rotina

Procurar trabalho não deixa de ser um trabalho, por isso organize seu tempo e seu dia a dia, estabelecendo um expediente diário como se você já estivesse trabalhando. Logo, divida seu tempo para cada atividade – preparação e envio de currículos e cartas, contatos, entrevistas etc. Não se esqueça de estabelecer prazos e metas para cada atividade. Dessa forma, além de ampliar suas chances de sucesso no processo, você se mostrará um profissional altamente organizado.

3. Planeje suas despesas

Um bom planejamento financeiro é fundamental para ter a tranquilidade que você precisa e focar na sua recolocação profissional. Portanto, reveja suas economias e planeje suas despesas. Em geral será necessário apertar um pouco o cinto. Então, evite despesas desnecessárias e procure aumentar ao máximo o tempo em que você poderá se sustentar com tranquilidade, mesmo neste momento de economia.

Revise seus gastos, corte tudo o que for desnecessário, se não for possível busque alternativas mais baratas para tais gastos e encare a possibilidade de outras fontes de renda durante o período em que estiver buscando um emprego.

Quanto mais fôlego financeiro tiver, maior será sua tranquilidade para este período.

Uma vez que você agora está bem, vamos ao seu currículo

4. Prepare um bom currículo

O currículo continua sendo a mais importante peça de marketing para quem procura emprego. Sem mentir, mas apenas destacando seus pontos fortes, elabore um bom currículo, que fale bem de você e que desperte o interesse de quem contrata.

Para construir um bom currículo, relembre tudo o que você já realizou em sua carreira, reunindo uma massa inicial de informações. Isto feito, tendo em mente seu objetivo profissional, reveja essas informações e veja quais delas estão alinhadas com as oportunidades que você procura. Mantenha tudo que estiver alinhado e descarte o que não estiver e não for relevante. Em seguida, ordene estas informações: se você tiver bastante experiência, coloque primeiro as experiências, se tiver pouca experiência, foque primeiro sua formação e depois as experiências. Continue com cursos, conhecimentos em outros idiomas, conhecimentos em informática e Internet e termine com viagens, prêmios, trabalhos voluntários e outras informações que você considerar pertinentes. Lembre-se sempre de que todas estas informações devem estar alinhadas com o seu objetivo profissional.

Tente colocar tudo isso em uma única página. Se não for possível, no máximo em duas, e não mais do que isso.

Antes de tudo, lá no início da página, coloque seus dados de contato em uma fonte menor, seguido do seu objetivo profissional em fontes grandes e centralizado.

Por fim, ainda sobre currículo, uma pergunta bastante frequente é:
Devo ou não colocar foto no currículo?

Para esta recorrente pergunta, eu desenvolvi uma lógica que nos ajuda a responder se devemos ou não colocar foto no currículo.

Responda estas quatro perguntas abaixo. Se disser SIM para todas elas, então você deve colocar sua foto no seu currículo. Se você responder um NÃO sequer, então não coloque sua foto no seu currículo. Vamos lá:

1) A aparência física é importante para o cargo que você deseja? Sim, pois há cargos que a aparência é importante, como por exemplo Host de um restaurante, e vários cargos que se trata com um público mais exigente.

2) Você possuí uma boa foto, de busto (peito pra cima com rosto), que te apresenta com trajes similares ao que irá usar no cargo desejado e com boa expressão, simpático e com certa alegria?

3) Esta foto está bem tirada, com boa luminosidade, não tremida e em foco?

4) Você compreende que esta foto está adequada a este momento e irá somar pontos ao seu currículo? Quero dizer, ela irá acrescentar pontos para você e aumentar o desejo do selecionador lhe conhecer pessoalmente?

Se respondeu SIM a estas 4 perguntas acima, então pode colocar sua foto.
Se respondeu NÃO a apenas uma delas, então não coloque foto.

Foto é um ítem delicado e o currículo atraente é uma somatória de pontos positivos.
Portanto, não corra riscos desnecessários, raramente alguém irá contratá-lo só pela sua aparência física, então foto é quase que desnecessária. No entanto, se respondeu SIM a todas as perguntas acima, a foto pode ajudar no processo de despertar interesse de quem contrata.

Agora é hora de divulgar seu currículo

5. Cadastre seu currículo nos principais sites de emprego

Hoje, a Internet é um dos principais locais onde as empresas buscam candidatos na hora de contratar. Portanto, não deixe de colocar seu currículo nos principais sites de emprego. A Curriculum (www.curriculum.com.br), por exemplo, é um dos maiores sites de recolocação profissional no mercado.

Quando pensar nestes sites de emprego, procure saber se eles têm um bom relacionamento com as empresas. De nada adiantará você colocar seu currículo em sites que podem até ser bonitinhos, mas que as empresas não utilizam. Será a utilização das empresas que determinará as chances de seu currículo ser visto em qualquer um destes.

Existem também vários sites de empregos de categorias ou nichos específicos. Procure saber se sua área de atividade não possui um deste. Se possuir, utilize-o também.

6. Envie seu currículo para as empresas

Além de utilizar sites de emprego, você deverá enviar seu currículo para empresas que contratam profissionais do seu perfil. Você deve inicialmente buscar as páginas web destas empresas e verificar a forma que elas utilizam para receber currículos. Alguns possuem sistemas do tipo “Trabalhe Conosco”, outras ainda recebem via e-mail. Caso você for enviar seu currículo via e-mail, há três formas de fazer isso, sendo elas (da mais indicada para a menos indicada):

  1. Tenha seu currículo hospedado na web, de modo que somente ele seja visto. A Curriculum.com.br oferece uma excelente ferramenta neste sentido, chamada Meu Currículo Online, que funciona sobre o excelente domínio currículo.com.br. Além de oferecer um lindo endereço personalizado para o seu currículo, a ferramenta permite que ele seja exposto como se estivesse impresso, num formato tradicional de A4 e sem nenhuma moldura de nenhum site, somente o currículo e nada mais. A vantagem desta ferramenta é que você pode continuar mantendo o currículo atualizado, uma vez que você divulgará apenas o link web dele. Se possível, evite enviar links que indicam seu currículo dentro de algum sistema de busca de currículos. Por mais famoso que este sistema possa ser, ele acabará dando à empresa a oportunidade de, depois de ter visto o currículo, ir atrás de outros profissionais similares. Mas esta última forma ainda é melhor do que as formas a seguir;
  2. Outra forma é enviar o currículo anexo por e-mail. Este modelo preserva o formato, estrutura e layout do currículo, de modo que a empresa poderá olhá-lo da forma como você o preparou. A desvantagem deste método é que nem sempre as empresas permitem o recebimento de e-mails com arquivos anexos, e o currículo poderá se perder no meio do caminho. Se puder formatá-lo em PDF, é ainda melhor;
  3. Por fim, a forma menos indicada, mas ainda válida, é colocar seu currículo no corpo do e-mail. Neste caso, as chances de que ele não se mantenha no formato original são grandes, assim como o risco de a empresa ver seu currículo sem formatação. No entanto, continua sendo uma forma de distribuir o currículo.

E muito embora cada vez menos utilizada, há ainda a possibilidade de imprimir seu currículo e entregá-lo pessoalmente.

7. Candidate-se a vagas

Além de deixar seu currículo em sites de emprego ou distribuí-lo você mesmo, amplie suas chances ao se candidatar a vagas que se encaixam com seu perfil. Alguns sites já identificam essas vagas automaticamente para você, como o site da Curriculum (www.curriculum.com.br). Em outros, você poderá buscar tais vagas. Retorne aos sites em que cadastrou seu currículo e candidate-se a todas as vagas compatíveis com seu perfil profissional. Não se esqueça de manter seu currículo sempre atualizado.

8. Ative seu networking (rede de contatos)

O networking continua sendo um dos principais caminhos para a recolocação de um profissional, por isso retome contatos e solicite orientações a eles. Todo o conteúdo produzido anteriormente para compor seu currículo é igualmente útil para quando você for apresentar-se aos seus contatos e suas indicações. Os contatos que não conhecem você precisam se sentir seguros para indicá-lo, sendo assim prepare uma rápida e eficaz apresentação sobre quem é você e o que você faz de melhor.

Se preparando para entrevistas

Se você fez tudo direitinho até aqui, seu currículo deve ter despertado interesse e você já deve estar sendo chamado para entrevistas.

9. Prepare-se para entrevistas

O conteúdo que você produziu para o currículo também será útil para as entrevistas ao responder a perguntas sobre suas realizações. Mas prepare-se também para questões difíceis como “quais seus pontos fracos”, “por que você saiu do emprego anterior” ou “por que acredita ser o melhor candidato para trabalhar conosco”.

Outra dica é estudar sobre a empresa antes da entrevista: sua cultura organizacional, o modo como ela se comunica com o mercado, o que ela oferece. E atenção: extraia informações durante as entrevistas. Elas poderão ser úteis não só para sua atuação no processo seletivo em questão, mas também para todo o seu processo de busca.

Quanto mais preparado estiver para uma entrevista, mais calmo estará nela e maiores serão suas chances de agradar.

10. Busque informações e atualização sobre sua área

Leia os livros mais recentes sobre sua área, assim como revistas, jornais e artigos na Internet. De repente, este poderá ser o momento em que conseguirá se aprofundar em conhecimento sobre sua área de trabalho. Busque cursos presenciais e online, leia artigos, participe também de fóruns de debate, palestras e cursos. Oportunidades podem aparecer num destes eventos. Toda informação sobre sua área de interesse é valiosa tanto para seu próprio desenvolvimento quanto para a troca de informações que acontecerá durante o desenvolvimento e ampliação de seu networking.

11. O que vestir

Esta é outra dúvida frequente: Como me vestir para uma entrevista de emprego?
Mas a resposta é bem simples: Vá para a entrevista com a roupa que você usaria se estivesse indo trabalhar no seu primeiro dia de emprego. Em geral, esta é a melhor roupa para se usar.

12. Demonstre energia, otimismo e foco em resultados durante o processo

Tanto os entrevistadores quanto as pessoas de seu networking que poderão indicar você às oportunidades precisam da tranquilidade que só uma pessoa positiva, segura e comprometida com resultados pode oferecer. Transmita corretamente esta positividade às pessoas e todas elas se lembrarão de você como alguém que indicariam ou contratariam.

13. Em época de crise, seja mais flexível ao negociar sua remuneração

Em casos de longos períodos desempregado, seja flexível na hora da negociação. Caso a empresa ofereça remuneração abaixo da pretendida, avalie em quanto tempo ela pode oferecer crescimento para você, incluindo promoções e aumentos. Às vezes pode valer a pena começar com um salário um pouco menor, mas com bons benefícios ou um bom plano de carreira definido dentro da empresa.

Se não conseguir o salário desejado, tente compensar com bônus. É uma forma inteligente de conseguir novamente o antigo salário, comprometendo-se com sua performance. Em último caso, talvez seja sábio aceitar um salário menor e daí “voltar para a casa número 1”, ou seja, continuar sua busca pelo emprego e o salário que deseja, evitando ficar desempregado.

Boa sorte e sucesso!

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
3

Comentários

comentários