Em meio ao turbulento momento de crise econômica e identidade profissional, milhares de pessoas, sem grandes perspectivas em suas carreiras, buscam alternativas no mercado de trabalho.

Por isso, dar início a uma nova trajetória profissional pode ser o caminho indicado para quem não encontrou satisfação e sucesso naquilo que faz. Razão pela qual o tema envolve uma série de questionamentos e detalhes que o coach e consultor de carreira, Emerson Weslei Dias, reflete sobre questões obrigatórias antes de seguir em frente.

A primeira coisa que deve ser feita, segundo o especialista, é buscar entender o motivo da mudança. “Ter isso bem claro é muito importante, pois ajuda a montar um planejamento para a transição. Uma mudança não pode acontecer só porque “encheu o saco”, é preciso investigar se não é apenas uma fase ruim na carreira atual, ou ainda um mau relacionamento com as pessoas e com a organização onde se está”, ressalta. Em alguns casos a insatisfação está muito mais ligada ao desenvolvimento da carreira que da atividade desempenhada.

Carreira e casa 

De acordo com o coach, mudar de rumo profissional é como mudar de casa: você primeiro precisa conhecer o novo lar, saber como é, como se sente nele, como é o bairro, a vizinhança… “Mudanças sem rumo não tem muita garantia de sucesso. Quando você estrutura a mudança, tem chances de ir avaliando ao longo do tempo se é lá mesmo que você quer estar”, afirma. Por isso, antes de começar a mudança é recomendado estudar o mercado e analisar as possibilidades reais que a área para onde você pensa em ir oferece. Outra sugestão é conversar com outros profissionais e conhecer a rotina da área em que deseja atuar.

Fazer cursos de atualização, se matricular em um MBA, aprender um novo idioma… “Investir em novos conhecimentos é uma ótima estratégia para desenvolver as habilidades necessárias para a nova carreira”, recomenda Dias. Além de adquirir conhecimento, também é possível construir uma rede de contatos, o que é fundamental nesse momento.

Adaptação: preparação emocional e financeira

Também é importante destacar que, durante a mudança, haverá um período de adaptação e é preciso estar preparado emocional e financeiramente. Vale lembrar que, ao mudar de carreira, é muito provável que você volte a ser um profissional júnior, com um cargo inferior e um salário menor.

A recomendação é fazer uma reserva financeira por dois ou três anos, para que seja possível enfrentar a fase de transição com mais tranquilidade. Além disso, não hesite em procurar ajuda caso sinta necessidade. “A incerteza sobre quanto tempo pode demorar para ter novamente uma estabilidade e um bom rendimento pode demandar muita energia física e mental. O apoio de um médico ou psicólogo pode ser útil nesse momento”, sugere Dias.

Dicas para a transição profissional

    • Tire férias ou alguns dias de descanso para ter certeza de que a insatisfação não é apenas cansaço.
    • Liste seus hobbies e algumas carreiras que mais lhe agradam
    • Converse com pessoas que já atuam na nova área pretendida e pesquise para saber das reais condições de trabalho.
    • Leia histórias inspiradoras de pessoas que mudaram de vida.
    • Não haja com impulso. Caso esteja certo da decisão, faça um planejamento.
    • Não pense na idade como um fator limitante. Nunca é tarde para mudar.

fonte: Catraca Livre

Em busca de novas oportunidades de trabalho?
Grandes empresas esperam por você!
Clique aqui e boa sorte!
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários