Aprenda a identificar sua vocação e a influenciar os outros com sua experiência

Você poderá dizer que encontrou sua vocação no dia em que sua história de vida influenciar seu trabalho – e não apenas o contrário.

Muitos acreditam que viver sua paixão é apenas um sonho, algo que nunca será realizado. Como se isso fosse privilégio de um grupo seleto de pessoas capazes de encontrar trabalhos que amam realizar.

Mas, curiosamente, todos que encontraram sua paixão (ou suas paixões) têm algo em comum: uma carreira gratificante. Só é preciso saber como encontrar isso. E o que fazer quando encontrar. Este é tema de um artigo publicado na revista Time, no mês passado. A seguir, as sugestões apresentadas pelo texto.

Comece pelo seu passado

Tudo o que pensamos, falamos ou fazemos é baseado em como nosso passado nos moldou. Ao longo da vida, nossas experiências definem um sistema de crenças que determina como vamos lidar com nossa carreira, relacionamentos, estresse e tudo o mais. Esse é o ponto inicial. Para descobrir nossas paixões, no entanto, é preciso ir mais fundo.

De onde exatamente vem a paixão?

Crenças são geralmente produzidas por experiências emocionais vividas. Quando passamos por momentos de alegria, tristeza, raiva ou medo, nossa mente é projetada para registrar esses momentos importantes e se lembrar deles. Isso acontece para nos manter longe ou perto de experiências similares no futuro. Nossas paixões, por sua vez, estão diretamente relacionadas a esses momentos. Por meio da emoção que sentimos em relação aos fatos é que eles se conectam às nossas vidas e destravam as mais enraizadas emoções.

A paixão é alimentada por motivação emocional

Este é o lugar onde a vocação se origina – seja a experiência emocional relacionada positiva ou negativa. Talvez você precise descobrir sua paixão. Talvez precise criá-la. A seguir, três passos para guiá-lo nesse processo.

  1. Entenda o quanto as experiências impactam você, positiva ou negativamente

Pessoas movidas pela emoção positiva costumam ser assim por causa de seu desejo de compartilhar. Algo em suas vidas – uma pessoa, um lugar, um produto ou um evento – impactaram-nas de forma tão intensa que elas sentiram os efeitos benéficos de cara. Quando encontram um trabalho alinhado à sua paixão se motivam pela possibilidade de influenciar os outros a fazer o mesmo. Para eles, não se trata de vender um produto a um cliente, mas, sim, de entregar uma experiência benéfica.

Personal trainners, por exemplo, frequentemente transformam seu estilo de vida esportivo em uma carreira, porque se inspiram ao ajudar os outros a ter os mesmos benefícios de saúde que eles tiveram.

Atores, por sua vez, muitas vezes são levados à seguir a profissão por influência de uma performance que os tenha causado um tipo de emoção, que agora eles querem reproduzir em seu público.

Chefs de cozinha entenderam como um prato incrível pode impactar positivamente a mente, o corpo e a alma das pessoas e são inspirados a causar isso em seus convidados.

Desenvolvedores de produtos geralmente passaram boa parte de suas infâncias brincando com jogos tecnológicos. Mais tarde, são motivados pela chance de criar algo que fará as outras pessoas se divertirem como eles faziam.

Pessoas dominadas por emoções negativas agem assim por causa de seus desejos de criar mudança. Seja o que for que as fez sentir injustiçadas ou limitadas, elas querem que os outros sejam protegidos dessa experiência. Eles se tornam ativistas de uma causa que afetou negativamente suas vidas, tentando a diferença para melhor na vida dos outros.

Eu tive a infeliz experiência de perder minha mãe para o câncer e o meu mentor no trabalho se suicidar em um período de três anos. Esses eventos negativos me fizeram perceber que não importa quem quer que você seja, todos nós enfrentamos dificuldades na vida para as quais não há respostas. No entanto, se tem a ver com nossa saúde, carreira ou questões psicológicas pode ser difícil identificar a origem dos fatos. Isso despertou em mim um desejo profundo de entender todos os aspectos da experiência humana. A partir dessa descoberta, poderia criar estratégias para dissolver todos os desafios da vida.

  1. Determine experiências significativas da sua vida

Para descobrir sua paixão você deve ser criativo na maneira como conecta experiências emocionais do passado aos interesses presentes. Esse tipo de criatividade é algo que nós todos temos dentro de nós, como bem descreveu Steve Jobs:

“Criatividade é só conectar as coisas. Quando você pergunta para pessoas criativas como elas fizeram algo, elas se sentem um pouco culpadas, porque sabem que não fizeram aquilo realmente, apenas enxergaram alguma coisa. Isso parece óbvio depois de um tempo. Porque elas estavam aptas a conectar experiências que tiveram e sintetizar novos temas. E foram capazes de fazer isso porque tiveram mais experiências ou pensaram mais sobre as suas experiências do que as outras pessoas.”

Exercício: tire uma hora para refletir sobre suas experiências do passado. Faça uma lista de destaques em cada uma das categorias a seguir: as pessoas que o afetaram; os lugares e ambientes que experimentou; os principais eventos; as conquistas e os fracassos. Para itens que sentir um significado particular, anote quais os pensamentos que teve no momento e como eles impactaram sua vida.

Depois da reflexão sobre o passado, você precisa reconectar suas conclusões ao presente.

Pergunte-se:

  • Como essas experiências afetaram o caráter que tenho hoje? Como influenciaram a minha segurança, ética no trabalho, relacionamentos, autoestima e tomada de decisão?
  • Como me fizeram feliz, triste ou teimoso?
  • O que os líderes, indústrias, organizações e empresas relacionados a essa experiência me inspiram?

Se você não fizer uma conexão instantânea, não se preocupe. À medida que avançar, volte à lista e adicione algo uma vez por mês. Desse modo, mantém o processo vivo na mente e posiciona-se para facilmente conectar e traduzir suas experiências em paixões.

  1. Ative sua paixão por meio da carreira

Uma vez que tiver definido o que a emociona, o passo final é traduzir isso em um caminho de carreira. A seguir, os três passos de ativação que podem ajudar você a aumentar a paixão que encontrou ou a buscar novas.

Sonho: se você descobrir algo que ama, não deixe escapar os sinais que indicam isso. A maioria das pessoas não procura suas verdadeiras paixões porque não acredita que uma carreira valha o esforço. Muitas pessoas amam música, tecnologia, estratégia de negócios ou escrever, mas não sentem que elas têm as habilidades e qualificações para se desenvolverem profissionalmente nessas áreas.

O problema é que elas pensam que precisam se tornar uma mestra do rock, um guru de tecnologia, um consultor de gestão ou o melhor autor de bestsellers para ser bem-sucedidas. Na verdade, se você explora essa atividade em uma escala bastante ampla, estará apto a descobrir oportunidades ligadas a ela. Alguém que ama tocar guitarra, por exemplo, pode eventualmente encontrar um trabalho de representante de vendas de uma gravadora. Estará fazendo algo relacionado à sua paixão original, mas de um modo diferente.

Inovação e empreendedorismo: o bom da paixão é que ela pode ser descoberta a qualquer momento e em qualquer lugar. Tudo o que precisa é uma situação que desperte alguma raiva ou frustração ou empolgação para que você se envolva emocionalmente com os fatos. As pessoas geralmente se tornam inspiradas a criar produtos inovadores. Eles passam por um problema, observam os outros passarem por situação similar e, por isso, reconhecem a oportunidade de fazer a diferença. Olhe como o site de viagens Airbnb enxergou lacunas na indústria de turismo e o Uber encontrou oportunidade da indústria do táxi.

Fique de olho nessas oportunidades enquanto lida com seus desafios da vida cotidiana. Lembre-se que você pode inovar e ser empreendedor começando seu próprio negócio, com criatividade, ou adotando uma postura intraempreendedora na empresa em que trabalha. O caminho certo será aquele que fizer sentido para sua vida.

Contribuição: a origem da experiência emocional da sua paixão será pessoal. No entanto, quando você a conecta a uma profissão, estabelece-se uma relação direta com o efeito que sua experiência causa nas outras pessoas. Se estamos compartilhando uma experiência positiva ou transformando uma negativa, esse é o valor que estamos aptos a compartilhar com quem está ao nosso redor – e, assim, alimentamos nosso próprio entusiasmo.

Você vai achar sua vocação quando sua história de vida influenciar seu trabalho, e não apenas o contrário.

Por Ariane Abdallah / Fonte: Época Negócios

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários