O maior recurso na evolução profissional não é um currículo cheio de floreios, mas as pessoas que você conhece ao longo da jornada

Por Paul Glen*

O começo de ano é sempre um bom momento para refletir sobre o futuro profissional: em que estágio estou, para onde ir e como chegar lá? É sempre um período em que pessoas como eu – analistas de indústria e consultores – usam para tentar prever as habilidades demandas e que lhe ajudarão a impulsionar sua carreira no futuro. Obviamente que, se essa evolução fosse tão simples quando muitas vezes tentamos fazer parecer, todo mundo seria CEO de alguma empresa.

Na realidade, um conselho nunca será universalmente útil como tenta se fazer parecer. Focar em expandir habilidades quentes talvez seja válido para uns, enquanto, para outros talvez soe como algo diverso demais uma vez que os objetivos e ambições são bastante variados.

E mais: enquanto para alguns profissionais é fácil migrar de uma posição técnica para uma gerencial e vice-versa; outros oscila entre períodos como funcionários e terceirizados; e muitos ambicionam um caminho mais tradicional dentro de uma única organização a fim de escalar as estruturas corporativas.

Mas, existe uma coisa que pode servir para todos, independente do perfil ou caminho que pretende seguir. Trata-se de algo que pode efetivamente ser realizado apesar da rotina atribulada do trabalho. Basta pegar cinco minutos de sua semana para retomar contato com alguém de seu passado. Todo mundo é capaz de dedicar esses pequenos espaços de tempo enquanto espera pelo começo de uma reunião, na hora do cafezinho ou logo após o almoço.

Esses cinco minutos por semana servirão para um processo de reconectar-se. Pode ser uma retomada de contato com alguém com quem você já trabalhou, frequentou a escola/universidade ou conheceu em algum atividade corporativa ou fora da organização. Tudo que você precisa fazer é pensar em um nome e entrar em contato com aquela pessoa, por telefone, email, redes sociais.

Não se preocupe. A tarefa não será um compromisso gigantesco e não levará a vida inteira. As pessoas que procurará provavelmente são tão ocupadas quando você e não terão horas e horas para ficarem falando ao telefone. Mas esses minutos da semana podem fazer mais por sua carreira do que você pode imaginar.

Por quê? Porque relacionamentos são peças fundamentais na construção de uma carreira – abrem oportunidades para novos empregos, para novos contratos e para novas atividades. É possível falar sobre coisa amenas nesses contatos ou é possível ser direto quanto a suas intenções – caso tenha isso claro.

As oportunidades, normalmente, vêm de pessoas que você conhece. É possível até ficar muitos anos sem entrar em contato, mas quando alguém lembra com carinho e respeito de você e do seu trabalho, provavelmente ficará feliz sobre o que sabe em termos de novidades e possibilidades para o futuro. Mas não faça esse movimento apenas por interesse, busque estabelecer um relacionamento. Essa é a chave do sucesso desse tipo de iniciativa.

Há algumas semanas, por exemplo, fui atualizar um equipamento de som lá de casa. Isso me fez lembrar em um sujeito com quem trabalhei há 20 anos, que era obcecado com sistemas estéreo. Essa lembrança gerou um movimento de escrever para esse amigo perguntando o que tem feito da vida e como tem passado. Só isso.

O maior recurso na evolução de sua carreira não é um currículo cheio de floreios, mas as pessoas que conhece ao longo de sua vida profissional. Se deixar uma boa impressão, certamente elas farão oportunidades cruzarem pelo seu caminho. Pode acreditar nisso.

*Paul Glen é coautor do Manual do Líder Geek.

Fonte: Computer World

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários