Para quem não gosta de estresse

Críticas, trabalho sob pressão, longas jornadas e falta de perspectiva profissional podem ser alguns dos gatilhos para uma crise de estresse. E é fato que algumas profissões são terreno fértil para que floresçam todos esses itens citados. Outras, no entanto, permitem que profissionais sejam menos atingidos por este mal.

O site Business Insider, com base em estudos do professor Laurence Shatkin, publicou uma lista de profissões que pagam relativamente bem nos Estados Unidos para quem quer fugir de uma rotina estressante.

Reunimos algumas das profissões nesta lista, e coletamos informações de seus salários no Brasil, a partir da ferramenta Salariômetro da Fipe. Algumas delas pagam bem também por aqui, outras nem tanto.

  1. Cientista de materiais

Taxa de tolerância ao estresse: 53 (numa escala de 0 a 100, sendo 100 a mais estressante).

Salário médio no Brasil para engenheiros pesquisadores de materiais 6.922 reais, segundo a Fipe, com base em 167 contratações entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015.

Salário médio no Brasil para químicos (físico-química): 3.561 reais, segundo a Fipe, com base em 284 contratações entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015.

  1. Cientista de alimentos

Taxa de tolerância ao estresse: 55.8 (numa escala de 0 a 100, sendo 100 a mais estressante).

Salário médio no Brasil para engenheiros de alimentos: 6.576 reais, segundo a Fipe, com base em 245 contratações entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015.

Salário médio para químico de alimentos: 3.561 reais, segundo a Fipe, com base em 284 contratações entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015.

  1. Matemático

Taxa de tolerância ao estresse: 57.3 (numa escala de 0 a 100, sendo 100 a mais estressante).

Salário médio no Brasil para matemáticos: 4.255 reais, segundo a Fipe, com base em 5 contratações entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015.

  1. Geógrafo

Taxa de tolerância ao estresse: 58 (numa escala de 0 a 100, sendo 100 a mais estressante).

Salário médio no Brasil para geógrafos: 3.745 reais, segundo a Fipe, com base em 83 contratações entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015.

  1. Cientista político

Taxa de tolerância ao estresse: 60,8 (numa escala de 0 a 100, sendo 100 a mais estressante).

Salário médio no Brasil para cientista político: 6.164 reais, segundo a Fipe, com base em 23 contratações entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015.

  1. Físico

Taxa de tolerância ao estresse: 61,3 (numa escala de 0 a 100, sendo 100 a mais estressante).

Salário médio no Brasil para físicos: 4.343 reais, segundo a Fipe, com base em 14 contratações entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015.

  1. Astrônomo

Taxa de tolerância ao estresse: 62.0 (numa escala de 0 a 100, sendo 100 a mais estressante).

Salário médio no Brasil para astrônomos: 3.404, segundo a Fipe, com base em 1 contratação entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015.

 

  1. Geofísico

O conhecimento se tornará central para a economia nas próximas décadas

Taxa de tolerância ao estresse: 62,5 (numa escala de 0 a 100, sendo 100 a mais estressante).

Salário médio no Brasil para geofísicos 9.378 reais, segundo a Fipe, com base em 44 contratações, entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015. 

  1. Professor de Direito

Taxa de tolerância ao estresse: 62,8 (numa escala de 0 a 100, sendo 100 a mais estressante).

Salário médio no Brasil para professores de Direito: 2.007 reais, segundo a Fipe, com base em 751 contratações entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015.

  1. Economista

Taxa de tolerância ao estresse: 63,3 (numa escala de 0 a 100, sendo 100 a mais estressante).

Salário médio no Brasil para analistas de mercado de trabalho (economistas): 4.664 reais, segundo a Fipe, com base em 457 contratações, entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015. 

  1. Atuário

Taxa de tolerância ao estresse: 63,8 (numa escala de 0 a 100, sendo 100 a mais estressante).

Salário médio no Brasil para atuários: 5.244 reais, segundo a Fipe, com base em 97 contratações entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015.

  1. Estatístico

Taxa de tolerância ao estresse: 64,0 (numa escala de 0 a 100, sendo 100 a mais estressante).

Salário médio no Brasil para estatísticos: 4.315 reais, segundo a Fipe, com base em 123 contratações entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015.

  1. Gerente de tecnologia da informação/computação

Taxa de tolerância ao estresse: 64,3 (numa escala de 0 a 100, sendo 100 a mais estressante).

Salário médio no Brasil para gerente de operação de tecnologia da informação: 7.697 reais, segundo a Fipe, com base em 374 contratações entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015.

  1. Desenvolvedor de software

Taxa de tolerância ao estresse: 65.0 (numa escala de 0 a 100, sendo 100 a mais estressante).

Salário médio para engenheiro de softwares computacionais: 6.779 reais, segundo a Fipe, com base em 337 contratações observadas entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015.

  1. Ortodontista

Taxa de tolerância ao estresse: 67,0 (numa escala de 0 a 100, sendo 100 a mais estressante).

Salário médio para ortodontistas: 2.661, segundo a Fipe, com base em 8 contratações entre setembro de 2014 e fevereiro de 2015.

Por Camila Pati / Fonte: Exame.com

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários