Via de regra, o mundo do trabalho estimula e premia os profissionais mais falantes e extrovertidos: eles dominam as discussões e são vistos como líderes naturais pela maioria das pessoas.

Ainda assim, o que se vê é a presença massiva de introvertidos na elite do mundo da política, dos negócios, das artes e dos esportes.

Não raro incompreendidos, profissionais com esse padrão de comportamento podem se revelar extremamente habilidosos, e esbanjam uma série de vantagens competitivas no trabalho.

Veja a seguir 12 exemplos de personalidades que driblaram a timidez e tiveram resultados nada “tímidos” em suas carreiras. A seleção inclui nomes tão diversos quanto Bill Gates (foto), Hillary Clinton e Steven Spielberg.

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook

Não se deixe enganar pela aparente popularidade e pelos mais de 69 milhões de seguidores de Mark Zuckerberg no Facebook, site que ele criou quando ainda era estudante em Harvard.

Em entrevista ao jornal “The New York Times”, a diretora de operações da rede social, Sheryl Sandberg, disse que seu chefe é “tímido e introvertido, e frequentemente parece pouco caloroso para pessoas que não o conhecem muito bem”. No entanto, ela garante que por trás da reserva de Mark se esconde uma pessoa afetuosa e preocupada com os outros.

Steven Spielberg, diretor e produtor de cinema

Diretor de sucessos do cinema como “Jurassic Park” e “E.T.”, Steven Spielberg é uma das figuras mais influentes de Hollywood. Seu jeito natural de ser, porém, tem pouco a ver com a estrondosa popularidade de seus blockbusters.

Segundo o livro “Spielberg: The man, the movies, the mythology”, o cineasta foi um jovem quieto e reservado. “Nunca me senti confortável comigo mesmo, porque nunca fui parte da maioria”, relata. “Eu me sentia constrangido, tímido e ausente da vida dos meus amigos”.

Marissa Mayer, CEO do Yahoo!

Formada pela Stanford University em ciências da computação e especializada em inteligência artificial, Marissa Mayer se define como uma mulher “geek” e tímida, em entrevista à revista Vogue.

Quando vai a uma festa, diz ela, sua vontade nos primeiros 15 minutos é a de ir embora. Ela precisa controlar esse impulso. “Eu olho para o meu relógio e digo para mim mesma ‘Você não pode ir embora até a hora x’”, conta a presidente do Yahoo!.

Meryl Streep, atriz

Indicada 19 vezes ao Oscar (por enquanto), Meryl Streep esbanja desenvoltura para representar suas personagens no cinema. O que poucos sabem é que essa autoconfiança é resultado de muito esforço.

“Sou introvertida, inclinada a não querer dizer nada em público”, conta ela à revista Vanity Fair. “Quando estou sob os holofotes, tenho que pensar ‘Mary, você consegue’”. Se respeitasse sua vontade, ficaria em casa pensando no que faria para o jantar, brinca a atriz.

Bill Gates, investidor, filantropo e fundador da Microsoft

Susan Cain, autora do premiado best-seller “O poder dos quietos”, diz que Bill Gates é introvertido, mas não tímido. “Ele é quieto e apegado aos livros, mas aparentemente imperturbável quanto à opinião dos outros sobre ele”, analisa ela em artigo para o Psychology Today.

Em entrevista à ABC, o fundador da Microsoft disse que pessoas com perfil mais reservado podem ter muito sucesso. Se for inteligente, diz ele, qualquer um pode aprender a desfrutar dos benefícios da introversão, como a capacidade de mergulhar de cabeça num problema até resolvê-lo.

Warren Buffett, CEO da Berkshire Hathaway

O famoso megainvestidor disse a um documentário produzido pela Bloomberg que desde cedo soube que tinha o intelecto, mas não a personalidade exigida para vencer no mundo dos negócios.

Para superar seu pavor de falar em público, ele se matriculou em um curso baseado no livro “Como ganhar amigos e influenciar pessoas”, de Dale Carnegie. Com a ajuda das aulas, Buffett aprendeu a ser um “ambivertido” — alguém capaz de ser extrovertido ou introvertido de acordo com a situação.

Barack Obama, presidente dos EUA

Apesar de sua atitude frequentemente brincalhona em público, o presidente dos Estados Unidos Barack Obama já foi alvo de críticas sobre sua atitude reservada nos bastidores.

“Ele não gosta de socializar, é um introvertido”, diz o escritor e jornalista político John Heilemann em entrevista ao site Mother Jones. “Eu o conheço desde 1988 e sei que ele não é o tipo de pessoa que tem um amplo círculo de amigos (…) É uma figura mais ou menos solitária com extraordinárias habilidades de comunicação”.

Hillary Clinton, candidata democrata à presidência dos EUA

Candidata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton não é extrovertida como seu marido, Bill. A postura defensiva é resultado de certas cicatrizes emocionais, diz ela ao “New York Times”.

“Muitas das críticas sobre a autenticidade dela são críticas à sua introversão. Ela é criticada por querer privacidade e por tomar cuidado com suas palavras; e é criticada por falta de autenticidade quando está tentando parecer mais extrovertida e sociável”, analisa o coach Michael Melcher.

Larry Page, cofundador do Google e CEO da Alphabet

Cofundador do Google, Larry Page foi considerado por muitos uma má escolha para assumir o comando da multinacional em 2011, por causa de sua personalidade calada e discreta.

Segundo reportagem do site Fast Company, à época o empresário era visto como uma pessoa introvertida, incapaz de fazer grandes apresentações em público ou ter uma relação próxima com a mídia. O futuro contradisse os críticos: em 2015, Page foi “promovido” a líder da Alphabet, holding que agrupa os negócios antes pertencentes ou ligados ao Google.

J. K. Rowling, autora da saga “Harry Potter”

Cabeça por trás da série de livros “Harry Potter”, a escritora britânica J.K. Rowling não esconde do público seu jeito pouco expansivo.

Em seu site oficial, ela conta que sua ideia para criar seu personagem mais famoso surgiu no trem, quando fazia uma viagem de Manchester a Londres. “Para a minha imensa frustração, eu não tinha nenhuma caneta que funcionasse, mas estava com muita vergonha de pedir para alguém se poderia emprestar uma…”.

Steve Wozniak, cofundador da Apple

A Apple é o resultado bem-sucedido de uma parceria entre um extrovertido e um introvertido. O primeiro foi Steve Jobs. O segundo é o menos conhecido Steve Wozniak.

“A maioria dos inventores e engenheiros que eu conheci são como eu…eles vivem em suas próprias cabeças”, disse ele ao “New York Times”. “Eles são como artistas, que trabalham melhor sozinhos”. Para ele, tarefas executadas de forma solitária têm mais qualidade do que as desempenhadas por comitês ou grupos.

Michael Jordan, ex-jogador de basquete

O ex-jogador da NBA Michael Jordan já gravou vários comerciais para a TV e até participou de um videoclipe com o astro pop Michael Jackson nos anos 1990.

Apesar da aparente desinibição, ele ficou em 1º lugar no ranking dos melhores atletas introvertidos de todos os tempos, segundo o site Ranker.

Fonte: Exame.com

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários